INTERVENÇÕES -

Bairros da zona sul terão nova rede de galerias

Secretaria de Obras anunciou que projeto de melhoria nos bairros Perobal, Novo Perobal e Franciscato foi aprovado pelo Conselho de Saneamento e está orçado em R$ 2,1 milhões

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Secretaria pretende construir 70 poços de queda para dar vazão à água em dias de chuva
Secretaria pretende construir 70 poços de queda para dar vazão à água em dias de chuva | Ricardo Chicarelli/28-10-2019
 




Após as chuvas que geraram muitos prejuízos para moradores dos jardins Perobal, Novo Perobal e Franciscato, na zona sul de Londrina, a prefeitura anunciou um projeto para construir uma  rede de galerias pluviais, além de  otimizar da já existente. Reportagem da FOLHA, veiculada na edição de terça-feira (29), mostrou o caos que se instalou nos bairros com as fortes chuvas de segunda (28). Moradores relataram que o problema é recorrente e cobraram mais infraestrutura. 


Uma equipe formada por dez servidores da secretaria municipal de Obras e Pavimentação percorreu alguns pontos da cidade nesta terça-feira, com base nos chamados da população junto à Defesa Civil e pela própria prefeitura em decorrências das chuvas do começo da semana,  para ver a extensão dos danos. O local mais crítico constatado foi na zona sul, principalmente no Perobal. Uma mulher chegou a deixar a residência onde vivia, na rua Tadao Ohira, por conta dos estragos.




Os bairros mais atingidos foram regularizados há cerca de dez anos. Segundo João Verçosa, secretário de Obras, as intercorrências por conta de alagamentos existem há pelo menos 25 anos. “É uma região densamente povoada, ou seja, os terrenos são praticamente 100% ocupados. A água que cai e que a terra não absorve vai tudo para a galeria pluvial. É muita água e não temos como resolver a situação com o dimensionamento que existe atualmente”, destacou. Uma residência no Perobal, por exemplo, pelo que foi definido no loteamento, à época, deveria ter 20% de área com absorção. 


VERBA

O projeto para melhoria da rede de galerias pluviais no Perobal, Novo Perobal e Franciscato foi aprovado pelo Conselho de Saneamento recentemente e está orçado em aproximadamente R$ 2,1 milhões. A verba virá do Fundo Municipal de Saneamento Básico e Desenvolvimento Sustentável, que soma recursos para serem aplicados exclusivamente em saneamento no município ao longo de três décadas. O dinheiro é depositado pela Sanepar e foi definido no novo contrato assinado com a empresa, em 2016. 


LICITAÇÃO 

O plano para as localidades da zona sul prevê, entre outras medidas, novas bocas de lobo para a rua Tadao Ohira, que tem acumulado a maior parte da água em dias de chuva, além da construção de 70 poços de queda do início dos bairros, próximo à escola municipal Eugênio Brugin, até o final dos jardins. As estruturas servem como interligação entre duas tubulações e têm entre quatro e seis metros de profundidade.


"Vamos programar para que a obra não tenha que começar no período de chuvas”.

João Verçosa


Verçosa afirmou que o projeto demandou tempo para ser confeccionado em razão da necessidade de se fazer vários levantamentos. O próximo passo é montar todo o processo e encaminhar para a secretaria de Gestão Pública. O secretário garantiu que as obras sairão do papel no ano que vem, sem especificar o mês.  A expectativa é de que o edital, por meio da modalidade concorrência pública, seja publicado ainda em 2019. “Vamos programar para que a obra não tenha que começar no período de chuvas”, esclareceu.

 

Defesa Civil recebeu 21 solicitações 

Balanço da secretaria de Defesa Social, responsável pela Defesa Civil, mostrou que o órgão recebeu 21 solicitações durante o temporal que atingiu Londrina na segunda-feira (28) e deixou estragos em várias localidades. Dos chamados, seis foram na região oeste, o mesmo número na sul, cinco no centro e duas na norte e na leste. 


De acordo com a estação meteorológica do Iapar (Instituto Agronômico do Paraná), a cidade registrou 32,8 milímetros de chuva na segunda, sendo quase 40% de toda a precipitação acumulada ao longo do mês de outubro. As chuvas intensas foram acompanhadas de fortes rajadas de vento.


No total, foram atendidos três destelhamentos de imóveis, sendo duas casas no jardim Novo Horizonte (zona norte) e outra no conjunto Lindóia (zona leste), além de danos à estrutura de residência no jardim Franciscato (zona sul). Ainda foi registrado deslizamento de terra em parte da pista da avenida Dez de Dezembro e também lateral do cemitério João XXIII. Os dois locais estão recebendo obras.


Foram registradas também cinco ocorrências de grandes alagamentos, nas avenidas Dez de Dezembro, São João, Guilherme de Almeida, Arthur Thomas e na rua Ébano, no jardim Santa Rita, sendo que esta última teve intervenção de melhoria finalizada recentemente. A Defesa Civil esclareceu que não houve relato de feridos, desabrigados ou desalojados.


A Sema (Secretaria Municipal do Ambiente) reportou 25 situações de quedas de árvores, espalhadas em várias regiões de Londrina. Dez prédios da secretaria de Saúde, sendo oito UBS (Unidades Básicas de Saúde) e dois Caps (Centros de Atenção Psicossocial), tiveram alagamentos, porém, não foi necessário suspender o atendimento e não houve prejuízo aos pacientes.


Continue lendo


Últimas notícias