|
  • Bitcoin 118.060
  • Dólar 5,2124
  • Euro 5,3411
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 21/07/2022, 18:18

Ato público no Calçadão marca Dia Estadual de Combate ao Feminicídio

Data foi instituída em 2018 e visa conscientizar a população sobre a importância do combate a todos os tipos de violência de gênero

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 21 de julho de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Um ato público será realizado nesta sexta-feira (22), das 10h às 14h, no Calçadão de Londrina, para marcar o  o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio. A ação é uma promoção da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres de Londrina e do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres. 

. .
. |  Foto: Divulgação - N.Com
 

Durante o ato, que será em frente ao Cine Teatro Ouro Verde, serão entregues materiais com informações sobre os serviços à disposição das mulheres e os canais de denúncia para as vítimas de violência. A ação contará com a participação de representantes da rede de proteção e de enfrentamento à violência contra as mulheres do município e, na oportunidade, as pessoas poderão tirar suas dúvidas. Essa será a primeira mobilização presencial da Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica no período pós-pandemia de coronavírus.

“A ideia é chamarmos a atenção da população para o combate ao feminicídio e às várias formas de violência contra a mulher”, reforçou a secretária municipal de Políticas para as Mulheres em exercício, Rosangela Portella Teruel. “O nosso objetivo é distribuir material informativo para dar visibilidade ao tema, trazendo a rede de proteção e de enfrentamento à violência contra a mulher, para que todas saibam que existe uma gama de serviços. A informação é uma medida preventiva que pode salvar vidas”, acrescentou a presidente do Conselho Municipal, Sueli Galhardi. 

LEIA TAMBÉM:

+ Polícia Civil investiga assassinato de duas mulheres em Ibiporã

+ Após oito furtos, Conselho Tutelar do Centro muda de endereço

NÉIAS

Néias - Observatório de Feminicídios Londrina se juntará à ação, distribuindo material próprio em homenagem as vítimas de feminicídio na cidade como forma de mantê-las vivas representadas na memória local.

O dia 22 de julho visa conscientizar a população sobre a importância do combate a todos os tipos de violência de gênero, como a agressão física, psicológica, moral, patrimonial e sexual. Ela foi instituída no Estado do Paraná em memória ao feminicídio da advogada Tatiana Spitzner, ocorrido em Guarapuava (Centro), em 2018.

Além desse dia, em Londrina, há a semana de conscientização sobre os direitos humanos das mulheres e o combate ao feminicídio, que vai de 22 a 29 de julho. A semana foi instituída pela Lei Municipal nº 12.939.

NO BRASIL E PARANÁ

No Brasil, o feminicídio é considerado um crime hediondo, ou seja, acarreta penas mais severas. De acordo com o Anuário Brasileiro da Segurança Pública 2021, no ano passado ocorreram 1.341 feminicídios no país, uma leve queda em relação ao ano anterior, quando 1.354 mulheres foram mortas.No Paraná, ao contrário, houve aumento, de 73 casos para 75, de 2020 para 2021.

ONDE PROCURAR AJUDA

As mulheres em situação de violência doméstica e familiar podem entrar em contato com o CAM (Centro de Referência de Atendimento à Mulher), pelo telefone 3378-0132. Também é possível comparecer presencialmente na Avenida Santos Dumont, 408, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, sem agendamento prévio. 

Também estão à disposição outros serviços, como a Delegacia da Mulher, pelo número (43) 3322-1633, que atende por telefone e por WhatsApp; o Plantão da Delegacia da Polícia Civil, no (43) 3378-3000 (funciona 24 horas por dia); a Central de Atendimento à Mulher 24 horas pelo Disque 180; a Polícia Militar no Disque 190; e a Patrulha Maria da Penha, pelo153. 

A Prefeitura de Londrina disponibiliza uma lista completa com dos serviços da rede de enfrentamento à violência no https://portal.londrina.pr.gov.br/telefones-uteis (Com informações do N.Com e Néias)

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1