|
  • Bitcoin 121.350
  • Dólar 5,0575
  • Euro 5,2320
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 26/06/2022, 18:50

Amigos prestam homenagens a paraquedista morto em Arapongas

O instrutor de paraquedismo Luis Vieira, 51, estava na aeronave que perdeu o controle durante a aterrisagem, na tarde de sábado

PUBLICAÇÃO
domingo, 26 de junho de 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Arquivo Bonde
menu flutuante

O corpo do instrutor de paraquedismo, Luis Carlos Vieira, 51, está sendo velado neste domingo (26), na Capela do Prever, em Arapongas (Região Metropolitana de Londrina). O sepultamento está marcado para as 16h, no Cemitério Municipal. 

O acidente com a aeronave, que pertencia a Vieira, ocorreu na tarde de sábado (25) durante uma tentativa de aterrisagem no aeroporto da cidade, que fica no km 5 da PR-218. Outras duas pessoas que estavam no avião, o filho de Luiz, de 18 anos, e o piloto, ficaram feridos e foram encaminhados ao Honpar (Hospital Norte Paranaense), em Arapongas. Eles foram liberados pelo hospital na noite de sábado. 

Muito conhecido na região, Vieira tem recebido homenagens de amigos e familiares nas redes sociais. Em Londrina, o técnico de manutenção de paraquedas, Luciano Miguel da Silva, que também é de Arapongas, lamentou a morte do amigo. "A gente se conhecia desde os 18 anos e ele foi o fundador do Clube de Paraquedismo de Arapongas Sky Diver´s. O paraquedismo era a profissão dele e o Brasil todo sente essa perda porque ele era muito conhecido entre os esportistas", afirma. 

O instrutor de paraquedismo em Londrina, Fabrício Macoto, também guarda boas lembranças com Vieira. "Já saltamos juntos. Todos estão muito tristes com o ocorrido porque quando alguém do nosso meio parte, todos sentem muito", diz. Vieira era casado e deixa dois filhos. Nas eleições de 2020, ele foi candidato a vereador pelo PDT (Partido Trabalhista Brasileiro).

CENIPA

A aeronave foi fabricada EM 1968 pela Neiva Indústria Aeronáutica Ltda. , empresa incorporada pela Embraer, e foi classificada na categoria privada experimental. A aeronave possuía autorização para voo diurno visual e o número máximo de passageiros é de três ocupantes. 

Em contato com  o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, o Cenipa informou que investigadores do  Seripa V (Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), localizado em Canoas (RS) foram acionados para realizar a ação inicial.

"Na Ação Inicial, são utilizadas técnicas específicas conduzidas por pessoal qualificado e credenciado, o qual realiza a coleta e confirmação dos dados, a preservação de indícios, a verificação dos danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias à investigação da ocorrência."

"O objetivo das investigações realizadas pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes", diz trecho da nota encaminhada pelo órgão. Eles não confirmaram a data da vinda para a Arapongas.  (Colaborou Vítor Ogawa)

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1