|
  • Bitcoin 102.310
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 24/02/2022, 20:55

Zema anuncia 10% de reajuste para todo o funcionalismo de Minas Gerais

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

LEONARDO AUGUSTO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Em meio à pressão das forças de segurança do estado, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), anunciou na tarde desta quinta-feira (24) reajuste de 10% para todos os servidores públicos mineiros.

O presidente da Aspra (Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais), Marco Antônio Bahia, afirmou que a proposta do governador foi rejeitada e disse que a categoria fará nova manifestação nesta sexta-feira (25), às 9h, na Cidade Administrativa, a sede do governo mineiro.

"Essa proposta caiu como uma bomba. A partir desse anúncio pode ser que já tenha algumas unidades ou frações da Polícia Militar paradas no estado", disse.

Greves de policiais militares são consideradas motins.

Na segunda-feira (21), uma manifestação de policiais militares, civis e agentes de segurança reuniu 30 mil pessoas em Belo Horizonte, segundo organizadores.

Em seguida, a Polícia Civil passou a operar com apenas 30% de seu efetivo, conforme informações que representam a categoria.

Uma cartilha começou a ser distribuída na noite desta quarta-feira (23) pela Aspra (Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais) para que os policiais militares passem a trabalhar dentro do que chamam de estrita legalidade.

Na prática, orienta os policiais a não utilizarem celulares pessoais no serviço ou utilizar viaturas que não estejam com equipamentos de segurança.

Os 10% serão dados via projeto de lei que o governador afirmou que enviará ainda nesta quinta (24) para a Assembleia Legislativa.

Uma reunião entre representantes dos policiais militares teve início por volta da 15h30 para discutir o reajuste anunciado pelo governador.

O percentual está abaixo do que as forças de segurança querem, que são 12% prometidos para setembro do ano passado, e que ainda não foi pago, e 12% para setembro de 2022.

"Vamos analisar agora a proposta", afirmou o presidente da AOPMBM (Associação dos Oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais), Aílton Cirilo dos Santos.

"O cobertor das contas públicas é curto e, portanto, o compromisso que faço hoje com os servidores públicos de Minas são conquistas que neste momento estão no limite da possibilidade do estado", disse Zema, ao anunciar o reajuste pelas redes sociais.