|
  • Bitcoin 150.237
  • Dólar 5,0617
  • Euro 5,2708
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 15/03/2022, 18:38

Vyni cantou em velório para pagar contas e sonhava fazer medicina

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 15 de março de 2022

BEATRIZ VILANOVA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Vyni, 23, nunca escondeu as origens humildes. Em seu vídeo de apresentação do Big Brother Brasil 22 (Globo), ele disse que sua cara "denuncia que é pobre", e até já precisou vender um botijão de gás para ir a um show de Anitta. Mas há muitas outras histórias em seu passado.

A servidora pública Stephany Alves, 27, que é amiga e uma dos seis administradores das redes sociais de Vyni, contou ao F5 que o cearense já foi ajudante da família no restaurante Pirão de Costela (que divide espaço com a casa dele), orientou trabalhos de faculdade, fez artes para convites e até cantou em casamentos e velórios para pagar as contas no fim do mês.

"Foi por necessidade e por hobby", conta ela. "A família do Vyni é bastante humilde, sem exagerar. Ele já passou por muito perrengue nessa vida. Enquanto estava no processo seletivo para o Big Brother, em alguns momentos faltou dinheiro até para pagar a conta de energia da casa, e ele ficou à luz de velas. Mas graças a Deus ele nunca passou fome, porque a avó e o pai sempre batalharam para que isso nunca acontecesse" --a mãe de Vyni é separada do pai e mora em São Paulo.

Stephany, que o conheceu há cerca de sete anos em um grupo de jovens da igreja, conta que Vyni sempre estudou com bolsa de estudos, inclusive na faculdade, através do Prouni (Programa Universidade para Todos). "Ele sempre se esforçou muito para vencer na vida, mas ainda passa dificuldades", conta ela, na expectativa que o BBB o ajude a mudar de vida. A produção do reality, inclusive, chegou a dar algumas peças de roupas para o participante, que tinha o guarda-roupas limitado.

Vyni acabou se formando em direito na Universidade Regional do Cariri como um "plano B", uma vez que seu sonho sempre foi cursar medicina, segundo a amiga. Ele chegou a prestar vestibular, mas não conseguiu ser aprovado.

Mesmo no direito, ele se sobressaiu: foi laureado na faculdade e ganhou uma bolsa para cursar uma pós-graduação a sua escolha logo antes de entrar para o BBB. Porém, Stephany acredita que ele seguirá mesmo é com a carreira de influencer, a qual ele já aposta há mais de um ano através de vídeos de humor, se autointitulado "influencer da baixa renda".

Desde o BBB 20, que teve Thelma Assis como vencedora, porém, os planos tomaram um novo rumo e Vyni passou a falar com mais frequência sobre o desejo de entrar no programa --e Stephany acredita que ele até tentou entrar na edição do ano passado. O perfil dele, segundo ela, era propício.

"Vyni é uma pessoa extremamente inteligente e tem um raciocínio muito rápido. Ele é muito observador, então quando está quieto na casa do BBB, está analisando cada movimento e palavra", conta a amiga. "Falta a gente ver o lado barraqueiro dele, que existe. Não sei se ele não mostra por receio... Mas mostrou uma outra parte verdadeira, de ser uma pessoa tranquila, que não procura confusão sem motivo. Que está sempre ali para consolar, e ao mesmo tempo é engraçado -sim, ele é muito desastrado. Já quebrou inúmeros chinelos andando na rua, caiu da cadeira...", brinca.

E continua: "Ele se coloca muito no lugar do outro, priorizar outros em detrimento dele mesmo. Observo que em alguns momentos, ele esquece dele para cuidar dos outros. É uma qualidade que ao mesmo tempo é defeito, especialmente em um jogo como o Big Brother, em que você tem que se colocar em primeiro para vencer".

Mesmo que o sonho não dê certo e Vyni deixe o BBB 22 nesta terça-feira (15), Stephany acredita que a participação valeu a pena pelo que ele evoluiu como ser humano. "Percebi que algumas amarras foram cortadas lá dentro. Ele se expôs e se abriu mais, que abriu seu coração para todo o Brasil, e é muito incrível ver essa evolução". Quem sabe as portas para um futuro cantor sejam abertas.

ELIEZER E SEXUALIDADE

Vyni assumiu "escancaradamente" sua sexualidade para a família um dia antes de ir para o programa, mas segundo Stephany, eles já imaginavam. Entre amigos, o cearense não escondia a realidade e sua aceitação por conhecidos foi tranquila.

"A única coisa é que a mãe dele é uma pessoa muito preocupada e teve medo de que ele pudesse sofrer uma agressão na rua, ser humilhado ou sofrer qualquer tipo de preconceito", conta Stephany.

Na casa do BBB 22, Vyni chegou a se emocionar em conversa com Eslovênia ao recordar quando ouviu que nunca estaria no "reino dos céus", e que estar na igreja não mudaria isso.

O cearense também já disse que perdeu a virgindade aos 22 anos, e sua amiga diz que isso vem muito da timidez e insegurança que ele sofre com o próprio corpo. "Só de ele entrar só de sunga na piscina já é uma vitória. Antes, ele entrava de camiseta", lembra ela. "Sempre conversamos com ele que isso era besteira, que ele é uma pessoa perfeita. Mas ele sempre foi muito inseguro".

Por isso mesmo, ela acredita que ele não está apaixonado pelo participante Eliezer, apesar das declarações de carinho no reality. "Ele é uma pessoa muito carinhosa e ao mesmo tempo carente. Passou muito tempo se prendendo, apesar das pessoas saberem da sexualidade dele. O Eli foi uma pessoa que acolheu ele, que dá abraços, e por Vyni estar longe da família e dos amigos, ele se aproximou na intenção de suprir essa saudade".

E acrescentou: "O Vyni apaixonado é totalmente diferente. Ele se afasta da pessoa, fica mais na dele. Ele não se entrega como está fazendo com o Eli, tem até medo de demonstrar".