|
  • Bitcoin 123.150
  • Dólar 5,1649
  • Euro 5,2706
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 09/03/2022, 14:47

Vice causa reviravolta na Bahia e ameaça romper com PT e se aliar a ACM Neto

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 09 de março de 2022

JOSÉ MATHEUS SANTOS
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

RECIFE, PE (FOLHAPRE) - O vice-governador da Bahia, João Leão (PP), ameaçou romper com o PT e migrar para o palanque do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União Brasil) na disputa pelo governo do estado.

Além da migração para a base de ACM Neto, o PP confirmou que cogita lançar a candidatura própria de João Leão ao governo do estado, o que contraria os interesses do PT no estado.

"Após as declarações do senador Jaques Wagner, em entrevista no início da semana, descumprindo alinhamentos construídos fruto de amplo diálogo, o PP da Bahia precisa refletir sobre seu futuro nas eleições estaduais deste ano", afirmou João Leão, por meio de nota à imprensa.

O vice-governador externou chateação com uma entrevista do senador Jaques Wagner (PT-BA) à rádio Metrópole de Salvador na última segunda-feira (7).

Na entrevista, Wagner disse que o governador Rui Costa (PT) iria concluir o mandato de governador em dezembro e que o PT teria candidato próprio ao governo da Bahia -ainda com um nome a definir.

Até então, o principal cenário traçado nos bastidores era com Rui Costa saindo no início de abril do cargo de governador para se candidatar ao Senado. Com isso, João Leão assumiria o governo do estado por nove meses.

O senador Jaques Wagner (PT-BA) Jane de Araújo - 3.mar.20/Agência Senado Brasília, 3 de março de 2020. Nos bastidores, o PP não gostou de ouvir as falas de Jaques Wagner sem ter sido consultado antes.

A declaração de João Leão nesta quarta-feira foi proferida após uma reunião em Brasília pela manhã com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, principal líder nacional do PP, e com outros integrantes do partido, como o presidente da Câmara, Arthur Lira.

Tanto Ciro Nogueira como Lira são aliados de primeira hora do governo Jair Bolsonaro (PL).

Apesar de criticar Jaques Wagner, João Leão acenou ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a Rui Costa, com quem teve uma reunião na segunda-feira (7).

"Qualquer decisão que o PP venha tomar sobre nossos rumos no estado será alinhada com as nossas bancadas, e também passará por uma conversa com o governador Rui Costa e com o ex-presidente Lula, com quem [o partido] esteve nos últimos dias", disse o vice-governador.

"Trabalhamos muito pelo nosso estado e o legado do PP precisa ser respeitado, da mesma forma como temos nutrido respeito por todos os nossos aliados", completou Leão.