|
  • Bitcoin 105.957
  • Dólar 5,2916
  • Euro 5,5202
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 24/02/2022, 13:34

Total de mortos em Petrópolis chega a 208; 48 estão desaparecidos

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

MATHEUS ROCHA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Subiu para 208 o número de pessoas mortas na chuva que devastou Petrópolis, cidade na região serrana do Rio de Janeiro. Do total de vítimas, 124 são mulheres; 84 são homens e 40, menores de idade. O temporal que caiu sobre a cidade imperial na terça-feira (15) alagou ruas, destruiu bairros e matou famílias inteiras.

Até a manhã desta quinta (24), 191 corpos haviam sido identificados e 181 já tinham sido liberados para as funerárias. As salas de velórios estão cheias, e os enterros estão sendo feitos em sequência. A prefeitura abriu novas covas rasas (menos profundas e mais baratas) e descartou um grande enterro coletivo "para respeitar a programação das famílias."

Ao menos 166 pessoas já foram sepultadas no cemitério de Petrópolis. Os enterros começaram na quarta-feira (16), quando Evelyn Luiza Netto da Silva, 11, foi sepultada.

A liberação de alguns corpos tem demorado em razão do estado em que eles chegaram ao IML (Instituto Médico Legal). Nesses casos, é preciso fazer exames de DNA e papiloscópicos para ter a identificação. Segundo a Polícia Civil, há um mutirão formado por peritos legistas e criminais, papiloscopistas, técnicos e auxiliares de necropsia para dar celeridade ao trabalho.

A chuva também destruiu casas, obrigando 899 pessoas a procurarem abrigo nos 14 pontos de apoio disponibilizados pela prefeitura da cidade. Segundo a administração municipal, essas pessoas estão recebendo itens essenciais e orientações sobre os serviços sociais que podem solicitar.

Apesar do medo da chuva, alguns moradores seguem vivendo à beira dos barrancos que deslizaram. "Vou para onde?" é a pergunta que muitos fazem.

Nove dias após a tragédia, as buscas continuam nas áreas mais afetadas pelos temporais. Nesta quinta, o trabalho dos bombeiros se concentra no Morro da Oficina, Vila Felipe, Sargento Boening e Vila Itália, áreas em que há suspeita de desaparecidos.

Segundo a Polícia Civil, há 48 pessoas que ainda não foram encontradas. Conforme os corpos vão sendo identificados, o número de desaparecidos vai caindo.

Petrópolis tenta agora se reerguer da tragédia. Nas ruas, moradores limpam casas, prédios históricos e comércios, que já começam a reabrir. Sirenes de viaturas e ambulâncias ecoam de um lado para o outro, e motociclistas e famílias circulam sem parar com doações entre pontos de apoio e igrejas.

Até esta quarta, o município havia registrado 2.199 ocorrências, das quais 1.764 são por deslizamentos. O Exército e a Marinha enviaram quase 1.000 militares para ajudar no controle de trânsito, reforçar a segurança e dar apoio na logística de donativos.