|
  • Bitcoin 137.811
  • Dólar 4,7311
  • Euro 5,0812
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 24/03/2022, 17:06

Tarifa de táxi fica mais cara na cidade de São Paulo após 7 anos

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 24 de março de 2022

CARLOS PETROCILO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As tarifas dos táxis ficarão mais caras em São Paulo a partir de 2 de abril. O reajuste de até 48,5% foi publicado no Diário Oficial do município nesta quinta-feira (24).

Segundo a prefeitura, a bandeira tarifária dos táxis enquadrados nas categorias comum, comum-rádio, preto e especial não era reajustada desde janeiro de 2015. Os novos valores, diz a administração Ricardo Nunes (MDB), ainda estão abaixo da inflação acumulada no período.

O valor inicial da corrida (bandeirada) passa de R$ 4,50 para R$ 5,50 (22,2%), e o custo por quilômetro rodado vai de R$ 2,75 para R$ 4 (45,4%) nas categorias táxi comum, especial e preto.

Nessa faixa, a tarifa horária (quando o carro fica parado à disposição do cliente ou circula a menos de 15 quilômetros por hora) custará R$ 49, e não mais R$ 33 —o aumento é de 48,4%.

Para a categoria de táxi luxo, a bandeirada passa de R$ 6,75 para R$ 8,25 (22,2%), a tarifa quilométrica de R$ 4,15 vai a R$ 6 (44,5%), e a tarifa horária subirá de R$ 49,50 para R$ 73,50 (48,5%).

Para a bandeira dois, acionada de segunda a sábado das 20h às 6h da manhã e durante todo o domingo, fica mantido o percentual de 30% cobrado a mais sobre a tarifa quilométrica.

Atualmente há 36.738 táxis ativos credenciados na cidade de São Paulo. Com a mudança, os taxímetros de todos os veículos deverão ser aferidos pelo Ipem (Instituto de Pesos e Medidas de São Paulo).

O preço da corrida atinge novo patamar quando o táxi volta a observar um aumento da demanda, principalmente em decorrência da situação em que vive o serviço de aplicativos.

Em meio à crise econômica, há um apagão dos carros particulares e reclamação dos usuários por conta de viagens canceladas pelos motoristas.

O vereador Adilson Amadeu (União Brasil), ligado aos taxistas, afirma que a inflação do preço do combustível reforçou a necessidade de aumentar a tarifa.

"Essa era uma demanda da categoria e de sua entidade representativa, que nós ajudamos na interlocução com o Executivo. Já faz mais de sete anos sem nenhum reajuste, nenhuma reposição inflacionária", diz o vereador. "E claro que o cenário de aumentos consecutivos dos combustíveis tornou isso ainda mais urgente."

Somente em março, na última revisão de preço dos combustíveis feita pela Petrobras, a gasolina teve um reajuste de 18,8%. Com isso, o preço da gasolina vendida pela Petrobras acumulou alta de 24,5% em 2022.

O GNV (gás natural veicular), bastante utilizado por motoristas de táxi, sofreu alta de 3,37% em fevereiro e o preço do metro cúbico chegou a R$ 4,695.

Desde janeiro de 2015, de acordo com a secretaria municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, a inflação acumulada foi de 53,09%, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

*

Valores para táxi comum, rádio, táxi preto e especial

Bandeirada; Tarifa quilométrica; Tarifa horária

Antigo: R$ 4,50; R$ 2,75; R$ 33

A partir de 2 de abril: R$ 5,50; R$ 4; R$ 49

Valores para táxi luxo

Bandeirada; Tarifa quilométrica; Tarifa horária

Antigo: R$ 6,75; R$ 4,15; R$ 49,50

A partir de 2 de abril: R$ 8,25; R$ 6; R$ 73,50