|
  • Bitcoin 151.647
  • Dólar 5,0430
  • Euro 5,2646
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 28/02/2022, 18:06

Sem blocos, cariocas lotam praias em dia de calor no Rio

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

MATHEUS ROCHA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Cariocas aproveitaram as temperaturas elevadas no Rio de Janeiro para pôr o bronzeado em dia e dar um mergulho no mar. Nesta segunda-feira (28) de Carnaval, banhistas lotaram as principais praias da capital fluminense.

Em Ipanema, zona sul da cidade, adeptos do exercício físico também decidiram aproveitar o dia de céu claro para correr e pedalar na orla da praia.

Segundo o COR (Centro de Operações Rio), um sistema de alta pressão manterá o tempo firme até sexta-feira (4), fazendo a máxima chegar aos 39ºC. Nesse período, não há previsão de chuva, o céu estará com poucas nuvens e os ventos irão variar de fracos a moderados. A previsão para esta segunda (28) era que os termômetros batessem os 36ºC.

No momento, não há regras sanitárias que limitem a permanência e a circulação dos banhistas nas praias da cidade.

A Secretaria de Ordem Pública diz que guardas municipais estão fiscalizando as praias no âmbito da Operação Verão, que está em vigor desde agosto do ano passado e tem como objetivo reforçar a fiscalização na orla e em outras áreas da cidade.

Ao todo, estão sendo empregados 1.260 agentes para monitorar praias, pontos turísticos e regiões do centro da cidade, onde blocos clandestinos estão se concentrando e saindo em cortejo pelas ruas da cidade.

No começo de janeiro, o prefeito Eduardo Paes (PSD) cancelou o Carnaval de rua em razão do aumento de casos e de internações por Covid na capital fluminense. À época, a cidade assistia à disparada nos números da doença, situação que se agravou ao longo do mês de janeiro. Atualmente, porém, o cenário epidemiológico no Rio está sob controle.

Nesta segunda (28), havia 56 pessoas internadas por Covid na rede pública, número que no pior momento da última onda passou das 800 internações.

Apesar da proibição do Carnaval de rua, o que se viu nos últimos dias foram foliões reunidos em blocos irregulares, aglomerações que ficam paradas ou saem pela cidade desde a noite de sexta (25).

Sem estrutura de banheiros, esquema especial de limpeza ou cadastramento de ambulantes, os foliões têm deixado pelas ruas da região central um rastro de lixo e de xixi.

O Carnaval do Sambódromo, no entanto, foi poupado. Em conjunto com São Paulo, Paes decidiu adiar os desfiles para o dia 21 de abril, no feriado de Tiradentes.

Festas privadas também foram permitidas desde que tenham autorização da prefeitura. A administração municipal exige que os frequentadores apresentem certificado de vacinação tanto em eventos abertos quanto nos fechados. Em ambos os casos, não há limite de lotação.

Nas festas em ambientes fechados, os participantes devem usar máscara. Em lugares abertos, o uso é facultativo.

Foliões, no entanto, têm criticado a decisão da prefeitura que liberou festas privadas e proibiu blocos de rua. Para eles, a medida torna o Carnaval um evento restrito a quem pode pagar, enfraquecendo o caráter popular da festa.