|
  • Bitcoin 123.673
  • Dólar 5,0972
  • Euro 5,1767
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 03/03/2022, 16:07

'Queremos evitar guerra direta com a Rússia', diz Casa Branca

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 03 de março de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - Apesar de ter imposto sanções à Rússia pela invasão na Ucrânia, os Estados Unidos querem evitar ao máximo uma guerra direta com o país que é seu rival histórico e liderado por Vladimir Putin. Em coletiva nesta quinta-feira (3), a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou que o governo de Joe Biden deseja isolar a Rússia, desde que isso não vire um confronto militar entre as duas nações.

"Proibir voos vindos da Rússia quer dizer que aviões americanos derrubariam aviões russos. Isso é guerra direta e queremos evitar", respondeu a um repórter que especulava novas restrições de Biden à Rússia.

Segundo Psaki, o objetivo norte-americano é "maximizar os impactos contra Putin" e minimizar as consequências para os residentes dos Estados Unidos. "Não temos interesse em diminuir o fornecimento de energia, porque assim o preço subiria ao redor do mundo e aumentaria o dinheiro no bolso de Putin", falou.

Perguntada mais uma vez se Biden estaria aberto a eventualmente se encontrar pessoalmente com o presidente russo para desescalar o conflito na Ucrânia, Psaki preferiu não dar certezas para o futuro: "Não é o momento para isso, mas talvez. Temos discussões internas e não planejamos isso agora".

Na quarta (2), a Casa Branca recuou em relação à proibição de exportações do petróleo da Rússia. A jornalistas, a vice-secretária de imprensa Karine Jean-Pierre disse que não há interesse estratégico dos Estados Unidos.

"Nós e nossos aliados e parceiros temos um forte interesse coletivo em degradar o status da Rússia como um fornecedor líder de energia ao longo do tempo. É por isso que temos falado sobre diversificação. É por isso que fechamos o Nord Stream 2. É por isso que estamos ajudando a acelerar a diversificação do gás russo. E é por isso que nega insumos tecnológicos críticos que a Rússia precisa para manter sua capacidade de produção de petróleo e gás", falou.