|
  • Bitcoin 100.086
  • Dólar 5,1827
  • Euro 5,3972
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 28/02/2022, 16:24

Policial civil é preso sob suspeita de matar homem em igreja de SP

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

MARIANE RIBEIRO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um policial civil foi preso em flagrante na madrugada desta segunda-feira (28) por suspeita de matar um homem a tiros dentro da igreja do Calvário, no bairro de Pinheiros, na zona oeste da capital paulista.

Segundo a Secretaria Municipal de Segurança Urbana, uma equipe da Guarda Civil Metropolitana (GCM) estava realizando patrulhamento na região quando foi acionada para atender a uma ocorrência de homicídio.

O homem atingido pelos disparos estava em uma sessão dos Narcóticos Anônimos que acontecia em um salão dentro da paróquia. O policial teria entrado e disparado contra a vítima, que ainda tentou sair do local, mas acabou caindo junto a uma árvore que fica na área externa da igreja. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

"O infrator empreendeu em fuga, mas foi detido em flagrante pelos guardas civis, que constataram tratar-se de um policial civil", afirma a SMSU em nota.

Após a prisão, o homem foi conduzido, junto com a arma do crime, à Corregedoria da Polícia Civil pela GCM.

Ainda segundo a SSP, o flagrante foi registrado e o policial deve ser encaminhado ao Presídio Especial da Polícia Civil.

O local onde o crime ocorreu foi preservado pela Guarda Civil Metropolitana até por volta das 9h30 da manhã desta segunda (28).

A identidade do policial e do rapaz morto não foram divulgadas, mas os Narcóticos Anônimos confirmaram que ambos eram frequentadores das reuniões do grupo, o policial há dez anos e o rapaz atingido pelos disparos há, aproximadamente, 45 dias.

A sessão, que acontecia na madrugada desta segunda-feira (28), faz parte de uma maratona de 24 horas do NA para atendimento aos frequentadores durante o Carnaval.

Ainda não se sabe qual foi a motivação do crime. A Secretaria de Segurança Pública afirma que todas as circunstâncias estão sendo apuradas.