|
  • Bitcoin 123.150
  • Dólar 5,1649
  • Euro 5,2706
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 08/03/2022, 18:29

Podemos acata pedido de desfiliação de Arthur do Val (1)

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 08 de março de 2022

CAROLINA LINHARES
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Podemos anunciou, nesta terça-feira (8), que acatou a desfiliação do deputado estadual Arthur do Val, alvo de processo de expulsão da legenda após o vazamento de áudios sexistas sobre as mulheres na Ucrânia.

"No Dia da Mulher, o Podemos recebe e acata desfiliação do deputado Arthur do Val. [...] Ele estava filiado ao partido há cerca de 30 dias", diz a nota da sigla.

O Podemos havia anunciado, na segunda-feira (7), a abertura de procedimento disciplinar para expulsar Arthur, que também é alvo de pedidos de cassação de mandato na Assembleia de São Paulo.

O deputado, que visitou a Ucrânia na semana passada, enviou áudios a amigos dizendo que as ucranianas são "fáceis" por serem pobres —e que a fila de refugiados da guerra tem mais mulheres bonitas do que a "melhor balada do Brasil".

O deputado estadual Arthur do Val, em trecho do vídeo que gravou na fronteira entre Ucrânia e Eslováquia, divulgado neste domingo (6) - Reprodução Youtube

Arthur, que seria candidato ao Governo de São Paulo pelo Podemos, foi filiado durante um evento em São Paulo, com a presença do presidenciável do partido, o ex-juiz Sergio Moro, e membros do MBL (Movimento Brasil Livre).

O deputado, youtuber também conhecido pelo apelido de Mamãe Falei, é membro do MBL.

Na ocasião, a presidente do Podemos, deputada federal Renata Abreu (SP), agradeceu aos membros do MBL pela filiação, chamando-os de "time de notáveis e idealistas".

Após a repercussão do caso, Arthur retirou a sua candidatura ao governo. Ele admitiu que enviou os áudios a um grupo de amigos.

Logo depois do vazamento, diversos integrantes do Podemos, incluindo a presidente, Moro e o ex-procurador Deltan Dallagnol divulgaram comunicados recriminando as falas de Arthur do Val.

Moro, até então defensor da candidatura de Arthur, indicou rompimento com com o deputado ao dizer que lamentava "profundamente as graves declarações".

O parlamentar divulgou em rede social um pedido de desculpas ao dizer que o conteúdo das falas não foi correto com as mulheres brasileiras, ucranianas e com "todas as pessoas que depositaram confiança no meu trabalho". ​

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo na segunda-feira, Arthur afirmou que irá se afastar do MBL e se defendeu de uma possível cassação na Assembleia Legislativa.

Questionado sobre a possibilidade de se desfiliar ou de ser expulso do Podemos, o deputado afirmou que não pensara sobre o assunto. Arthur disse ainda que não refletiu sobre seu futuro político e que, no momento, só está preocupado com o fim do seu namoro com a enfermeira Giulia Blagitz.

Em reação à abertura do processo de expulsão, Arthur afirmou à imprensa que não iria forçar o partido a aceitá-lo. "Se o partido não me quer eu saio."

Arthur deve começar a responder nesta semana no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia a representações que podem levar à perda de seu mandato. Onze pedidos que solicitam a punição do deputado foram protocolados na Casa desde sexta-feira (4), quando foram reveladas declarações de cunho sexista feitas por ele.

Um desses pedidos foi assinado por 17 parlamentares da Assembleia e entregue nesta segunda-feira.