|
  • Bitcoin 124.828
  • Dólar 5,1649
  • Euro 5,2590
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 10/03/2022, 12:19

Paulo Scott é indicado ao International Booker Prize por 'Marrom e Amarelo'

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 10 de março de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O autor brasileiro Paulo Scott está entre os indicados ao International Booker Prize por seu romance "Marrom e Amarelo", publicado em 2019 pela Alfaguara, selo da editora Companhia das Letras. A lista com os indicados foi divulgada pela organização do prêmio.

A obra de Scott, que ganhou tradução para o inglês por Daniel Hahn, está entre as 13 semifinalistas da premiação, a principal para literatura não anglófona publicada no Reino Unido.

Olga Tokarczuk, escritora polonesa vencedora do prêmio Nobel em 2018, com seu novo livro "The Books of Jacob", também concorre ao prêmio, assim como a mexicana Fernanda Melchor, autora de "Paradais", a argentina Claudia Piñeiro, de "Elena Knows", e o israelense David Grossman, autor que já venceu a premiação há cinco anos com o romance "O Inferno dos Outros" e que concorre agora com "More Than I Love My Life".

No ano passado, o vencedor foi o franco-senegalês David Diop com a obra "Irmão de Alma", que retrata os conflitos de um jovem que está à beira da loucura e narra a história de um soldado senegalês que lutou pela França na frente ocidental da Primeira Guerra Mundial. Na definição do crítico João Batista Natali em resenha publicada neste jornal, o livro é um "longo passeio tenso e triste, que o romancista transforma em objeto com momentos belíssimos e atraentes".

"Marrom e Amarelo", publicado no exterior pela editora britânica And Other Stories, tem levado o nome de Paulo Scott às páginas de grandes jornais internacionais, recebendo resenhas elogiosas de veículos como o britânico The Guardian e o New York Times.

No livro, o personagem Federico é um cientista social que narra sua participação em uma comissão que quer definir critérios para identificação étnica de autodeclarados afrodescendentes que se candidatam a cotas em universidades públicas. Ao longo da história, o narrador escancara a hierarquia entre negros com tons de pele diferentes existente no Brasil.

Newsletter Tudo a ler Receba no seu email uma seleção com lançamentos, clássicos e curiosidades literárias; aberta para não assinantes. *** Na avaliação de Luís Augusto Fischer, em resenha sobre "Marrom e Amarelo" publicada neste jornal, o autor aborda um tema importante, envolvendo aspectos urgentes e mesmo inadiáveis, "num romance conduzido com segurança e destreza".

Os finalistas do prêmio serão revelados em 7 de abril e os vencedores, em 26 de maio.

Confira a lista completa com as demais obras semifinalistas ao International Booker Prize.

Fernanda Melchor (México), por "Paradais"

Mieko Kawakami (Japão), por "Heaven"

Sang Young Park (Coreia do Sul), por "Love in the Big City"

Norman Erikson Pasaribu (Indonésia), por "Happy Stories, Mostly"

Claudia Piñeiro (Argentina), por "Elena Knows"

Violaine Huisman (França), por "The Book of Mother"

David Grossman (Israel), por "More Than I Love My Life"

Paulo Scott (Brasil), por "Phenotypes" (tradução de "Marrom e Amarelo")

Jon Fosse (Noruega), por "A New Name: Septology VI-VII"

Jonas Eika (Dinamarca), por "After the Sun"

Geetanjali Thapa (Índia), por "Tomb of Sand"

Olga Tokarczuk (Polônia), por "The Books of Jacob"

Bora Chung (Coreia do Sul), por "Cursed Bunny".