Paulo Gustavo foi destaque como Dona Herminia; relembre personagens


KARINA MATIAS
KARINA MATIAS

<p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Paulo Gustavo morreu nesta terça-feira (4) aos 42 anos, vítima da Covid-19. A informação foi confirmada pela assessoria do ator e humorista. "Às 21h12 desta terça-feira, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da Covid-19 e suas complicações."

</p><p>"Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento. A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos", diz nota enviada à imprensa pela assessoria.

</p><p>Paulo Gustavo foi criador de diferentes personagens de humor. Dona Hermínia é a mais famosa deles e uma campeã de bilheterias nos cinemas com a trilogia. "Minha Mãe É uma Peça".

</p><p>O terceiro longa da desbocada dona de casa, que vive de bobs e ama incondicionalmente os filhos Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo), bateu o recorde de maior billheteria nacional. Lançado no fim de 2019, a produção arrecadou mais de R$ 143 milhões -ultrapassando o segundo longa da série, antigo detentor do recorde, que rendeu cerca de R$ 124 milhões.

</p><p>Em entrevista ao site F5 em 2020, Paulo Gustavo disse que foi ainda na infância que começou o processo de criar personagens, quando imitava tias e avós durante festas e confraternizações familiares. Dona Hermínia é inspirada em sua própria mãe, dona Déa Lúcia.

</p><p>"Ela ganhou o carinho de muita gente. Quando olho as roupas dela, isso mexe comigo, é como se eu a tratasse como algo meio sagrado para mim, sabe? Essa personagem mudou minha vida para sempre. Nunca imaginei que o que eu escrevia fosse ter essa repercussão dessas", afirmou o ator, na ocasião.

</p><p>Dona Hermínia surgiu primeiro nos palcos, e estourou no monólogo "Minha Mãe É uma Peça", que depois deu origem aos filmes. Ela e outros personagens marcantes de Paulo Gustavo, como Maria Enfisema e Senhora dos Absurdos fizeram parte do 220 Volts, programa exibido entre 2011 e 2016 no Multishow, e que ganhou um especial em 2020, com transmissão na Globo.

</p><p>Ele também interpretou o delegado Lupicínio no "Sítio do Pica-Pau Amarelo", em 2007. Em outubro de 2007, no extinto Vídeo Show, Paulo Gustavo afirmou que o programa foi seu primeiro contato com a televisão.

</p><p>"É um programa que amei fazer. Foi meu primeiro contato com a televisão. Foi um aprendizado ficar um ano naquele estúdio, naquela cidade cenográfica. Quando cheguei, fiquei emocionado, porque sempre fui fã do 'Sítio do Pica-Pau Amarelo'."

</p><p>"Quando vi a dona Benta, o saci-pererê, a Emília. Eu vejo isso desde criança, que legal estar aqui. Fazia o personagem do delegado que virava lobisomem. Ele era delegacia que sempre ficava atrás do lobisomem, mas o lobisomem era ele. Era uma história super divertida, lúdica, e eu amei fazer. Foi um período muito incrível e emocionante de fazer parte desse programa."

</p><p>O ator também fez sucesso ao interpretar o malando Valdomiro Lacerda, do seriado Vai Que Cola, do Multishow. O personagem tinha uma vida boa no Leblon até dar um golpe e fugir para o Méier, subúrbio do Rio de Janeiro. Ele vai morar na pensão de dona Jô (Catarina Abdalla).

</p><p>Paulo Gustavo participou como personagem fixo nas quatro primeiras temporadas do seriado, mas depois fez participações pontuais e interpretando novos personagens. Hoje, o seriado tem oito temporadas completas.

</p><p>Muito de suas criações foram, segundo ele disse, uma forma de falar de assuntos delicados e de fazer uma crítica por meio da arte e do humor.

</p><p>*

</p><p>RELEMBRE PERSONAGENS MARCANTES DE PAULO GUSTAVO

</p><p>Dona Hermínia

</p><p>Divorciada do marido (Herson Capri), que a trocou por uma mulher mais jovem, ela é hiperativa e costuma dizer tudo que lhe vem à cabeça, sem filtros. Não larga o pé de seus filhos Marcelina e Juliano, sem se dar conta que eles já estão bem grandinhos.

</p><p>

</p><p>Maria Enfisema

</p><p>Segundo definiu Paulo Gustavo, é uma mulher que "tem preguiça da vida, está cansada de todo o mundo, não aguenta mais as pessoas". Fumante compulsiva, Maria Enfisema é também politicamente incorreta. "Abordamos coisas delicadas, mas sempre com humor", disse ele.

</p><p>

</p><p>Senhora dos Absurdos

</p><p>De classe média alta, moradora do Leblon, no Rio, ela costuma dar opinião sobre tudo e chocar com seus comentários preconceituosos. É elitista, homofóbica e racista. "É uma personagem que criei para debochar da intolerância e da cultura do ódio. Meu intuito é fazer rir, mas sabendo que o riso também é um modo de abordar temas controvertidos e incômodos da sociedade. Dar visibilidade e voz às minorias é mais do que necessário e pode ser feito de muitas maneiras. Minha arte é uma delas", disse.

</p><p>

</p><p>Bianca

</p><p>É uma mulher empoderada, feminista, que não se importa com a opinião dos outros nem em agradar os outros. "Ela faz o que quer", afirmou Paulo Gustavo.

</p><p>

</p><p>Sem Noção

</p><p>É um homem especialista em criar situações constrangedoras, seja na academia ou até na festa de Natal.</p>

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo