|
  • Bitcoin 122.265
  • Dólar 5,0950
  • Euro 5,2474
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 11/03/2022, 21:12

Para reduzir custo, EUA lança plano de US$ 250 milhões para fertilizantes

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 11 de março de 2022

MAURO ZAFALON
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os produtores norte-americanos, que já vinham sendo afetados pela alta dos fertilizantes desde o ano passado, passaram a ter custos ainda maiores após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Para minimizar esses custos no campo, o Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou, nesta sexta-feira (11), um plano de apoio a produtores independentes de fertilizantes.

O dinheiro virá de um fundo de crédito de commodities, reservado para períodos de perturbações no mercado. O valor do subsídio será de US$ 250 milhões (R$ 1,2 bilhão) neste verão.

Para o secretário de Agricultura, Tom Vilsack, as recentes interrupções na cadeia de suprimentos, devido à pandemia e à guerra atual, vêm mostrando o quão importante é investir na cadeia de suprimentos agrícolas nos Estados Unidos.

Segundo o Usda, os Estados Unidos são muito dependentes da importação de fertilizantes, sendo os segundos ou terceiros maiores importadores mundiais nos três principais componentes de fertilizantes. China, Rússia, Canadá, Marrocos e Belarus são os principais produtores mundiais.

Para receber os subsídios anunciados, o produtor de fertilizante necessita ser independente e não estar ligado aos atuais grandes fornecedores. O Usda quer aumentar a concorrência de mercado.

Além disso, o fertilizante tem de ser produzido nos Estados Unidos e por empresas norte-americanas, visando uma redução da dependência externa.

O Usda quer também que o projeto seja inovador e que prepare o país para a nova geração de fertilizantes. Deve ser sustentável, reduzindo o impacto de gases de efeito estufa nos transportes e na produção, buscando fontes de energia renovável.

Os projetos de produção devem focar o fazendeiro, fornecendo suporte e oportunidades para produtores de commodities agrícolas nos Estados Unidos.

O governo quer melhorar a concorrência no mercado agrícola, e busca informações sobre impactos da concentração em fertilizantes, sementes e outros insumos, segundo comunicado do Usda.

Para Vilsack, a concentração e práticas anticompetitivas deixam agricultores, empresas e consumidores sob o efeito de custos elevados e com menores opções de escolhas.