Organizações da sociedade civil se unem em manifesto em defesa da democracia


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um grupo de 29 entidades da sociedade civil se reuniu para promover uma campanha pela democracia brasileira.

A iniciativa, lançada nesta quarta-feira (15), inclui uma agenda com propostas que podem ser utilizadas por instituições, líderes da sociedade civil, meios de comunicação e cidadãos na defesa da democracia, segundo comunicado das organizações.

Também faz parte da ação a divulgação de um vídeo no qual personalidades falam sobre ataques que sofreram por conta de sua atuação profissional e posicionamentos políticos.

Entre as entidades que participam do movimento estão o Instituto Igarapé, Instituto Alana, Aliança Nacional LGBTI+, a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), Conselho Nacional da Juventude, Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Instituto Sou da Paz e Fundação Tide Setubal.

"A defesa da democracia é um exercício diário e rotineiro, em especial em países como o Brasil, onde a democracia é jovem e está longe de ser consolidada. O fechamento do espaço cívico representa um ataque direto à democracia, já que se trata da esfera pública onde cidadãs e cidadãos se organizam, debatem e agem para influenciar as políticas públicas e os rumos de nosso país", afirma Ilona Szabó, presidente do Instituto Igarapé e colunista da Folha.

Segundo ela, vivemos uma situação dramática de restrição das liberdades de expressão, de participação, de associação, do exercício da liberdade de imprensa, de reunião e das atividades acadêmicas.

A agenda e o vídeo fazem parte do Programa Espaço Cívico, que inclui pesquisas e análises sobre o tema, uma série de podcasts, um livro e um a rtigo.

O vídeo traz depoimentos de personalidades como Carolina Solberg, Debora Diniz, Felipe Neto, Ricardo Galvão, Zezé Motta e Pedro Hallal, também colunista da Folha de S.Paulo.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo