|
  • Bitcoin 122.036
  • Dólar 5,1556
  • Euro 5,2607
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 22/02/2022, 16:15

Número de mortos em Petrópolis sobe para 183, e o total de desaparecidos cai para 85

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

JÚLIA BARBON
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - À medida que corpos vão sendo identificados em Petrópolis, no Rio de Janeiro, a lista de desaparecidos vai diminuindo. Eram 183 mortos e 85 pessoas sumidas durante a chuva reportadas à Polícia Civil até esta terça-feira (22), quando a tragédia completa uma semana.

Na manhã desta segunda (21), os números do órgão indicavam 171 mortos e 112 desaparecidos. A diferença se deve principalmente ao reconhecimento de quem já havia sido levado ao IML (Instituto Médico-Legal) da cidade --até agora, 92% das vítimas achadas foram identificadas.

Do total de mortos, 111 eram mulheres e 72 eram homens, entre eles 32 menores de idade. Foram encontrados ainda sete fragmentos de corpos. As buscas na lama feitas por bombeiros e moradores continuam em curso, assim como o atendimento aos 875 abrigados em escolas municipais.

Nas ruas, moradores seguem limpando casas, prédios históricos e comércios, que já começam a reabrir. Sirenes de viaturas e ambulâncias ecoam de um lado para o outro, e motociclistas e famílias circulam sem parar com doações entre pontos de apoio e igrejas.

As salas de velórios estão cheias, e os enterros estão sendo feitos em sequência no cemitério municipal . A prefeitura abriu novas covas rasas (menos profundas e mais baratas) e descartou um grande enterro coletivo "para respeitar a programação das famílias".

Chuvas continuaram atingindo a cidade na última semana, principalmente à tarde e à noite, fazendo as sirenes nas áreas de risco serem acionadas diversas vezes, incluindo na tarde desta terça. A previsão é de pancadas moderadas a fortes.

O Corpo de Bombeiros fluminense marcou um encontro com a imprensa nesta segunda para explicar as dificuldades das equipes e desmentiu boatos de que pessoas teriam sido resgatadas com vida nos últimos dias --foram 24 salvamentos, todos nas primeiras 24 horas após a tempestade.

Desde a tempestade, foram registradas mais de 1.300 ocorrências no município, a maioria por deslizamentos. Até o momento também foram realizadas mais de 300 vistorias nas áreas afetadas, de acordo com a prefeitura.

Segundo o comandante dos Bombeiros, coronel Leandro Monteiro, quando a primeira solicitação de socorro foi feita, havia 30 militares em serviço, que é o efetivo do quartel local. Em seguida, foram acionados os efetivos próximos, de Itaipava, Teresópolis e Nova Friburgo, e os profissionais de folga.

Agora, há 54 cães especializados do Rio de Janeiro e de outros estados atuando nas operações. "O objetivo é minimizar as áreas a serem trabalhadas. Em um determinado perímetro, um cão substitui cerca de 25 bombeiros", disse o tenente-coronel Wendell Carlos Rodrigues.

A corporação afirmou ainda que a presença de pessoas e veículos dificultam as buscas. "Em um socorro, por exemplo, eu gastei 40 minutos em um trajeto de 500 metros com um paciente na ambulância", disse a coronel Simone Maeso, diretora-geral de Socorro e Emergência.

Mais de 300 animais também foram resgatados pela prefeitura, por ONGs e por voluntários nas áreas afetadas até agora. Eles estão sendo abrigados por 84 pessoas em lares temporários cadastrados, e os feridos estão sendo atendidos voluntariamente.

Parte da cidade permanece sem abastecimento de água (como Parque São Vicente, Sargento Boening, Chácara Flora, Estrada da Saudade, Floresta e locais altos do Quitandinha). Por isso, 13 caminhões-pipa foram distribuídos pelas regiões.

O acesso a algumas áreas ainda é difícil: 19 vias estavam total ou parcialmente interditadas na manhã desta terça, e as linhas de ônibus operam com horários e frota reduzidos. Muitos funcionários não conseguiram voltar ao trabalho, e os veículos passam por manutenção após serem alagados.

A Prefeitura de Petrópolis informou que, no momento, as doações de roupas usadas e água mineral já são suficientes para atender a população afetada, mas que itens de higiene, cuidado pessoal e limpeza são necessários.

*

DOAÇÕES MAIS NECESSÁRIAS AGORA, SEGUNDO A PREFEITURA

Cesta básica já montada (25 kg)

Kit de higiene pessoal (desodorante, absorvente, sabonete etc.)

Kit de limpeza (desinfetante, saco de lixo, luvas descartáveis, detergente, esponja etc.)

Kit para crianças (biscoitos, guloseimas, brinquedos, jogos infantis etc.)

Fraldas geriátricas

Toalhas novas

Roupas de cama e travesseiros novos

Roupa íntima nova (infantil, feminina e masculina)