|
  • Bitcoin 145.240
  • Dólar 4,9690
  • Euro 5,2118
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 15/03/2022, 17:43

Mulher é expulsa de bar no DF ao defender Bolsonaro em celebração a Marielle

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 15 de março de 2022

PIETRA CARVALHO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Uma mulher de 42 anos foi expulsa de um bar na Asa Norte, no Distrito Federal, após gritar palavras de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) durante a comemoração de um prêmio que leva o nome da vereadora carioca Marielle Franco, morta há quatro anos.

A cliente afirmou em depoimento a polícia que parte do público xingava Bolsonaro no momento em que ela decidiu revidar, gritando a favor do político. Ela, então, teria sido expulsa do bar de forma violenta, segundo declarações da própria em boletim de ocorrência, afirmando que levou "uma gravata", teve a roupa arrancada e foi arrastada para fora do estabelecimento.

O caso aconteceu na noite de domingo (13), no bar Outro Calaf, que comemorava a vitória na categoria Arte e Cultura do Prêmio Marielle Franco de Direitos Humanos no que foi, coincidentemente, o último dia de funcionamento do local, que fechou as portas após 32 anos.

Em nota à reportagem, responsáveis pelo estabelecimento negaram que a denunciante tenha sido expulsa por apoiar o presidente, declarando que "o Calaf sempre foi um espaço de defesa da democracia, do diálogo e da verdade".

Eles argumentaram que a confusão começou depois que a mulher subiu ao palco e tentou interromper a cerimônia de premiação, agredindo outras pessoas presentes.

"Depois que terminou a cerimônia, ela permaneceu no palco, gritando: 'Fica Bolsonaro'. Até este momento, estava tudo muito tranquilo e respeitoso. Quando ela desceu do palco, após as vaias do público, estava visivelmente irritada e começaram as confusões. Tentamos acalmá-la, mas ela passou a agredir diversos clientes e funcionários", diz o comunicado.

Apesar da justificativa, o bar afirmou que condena as imagens registradas por testemunhas durante a retirada da mulher, que comprovam o uso de força contra a cliente.

"Ao analisar as filmagens de parte dos acontecimentos, reafirmamos que não coadunamos com a conduta da segurança terceirizada - nenhum tipo de violência é justificável - e já encaminhamos reclamação para a empresa responsável."

Nas imagens compartilhadas nas redes sociais, a mulher aparece discutindo com alguns clientes antes de ser derrubada no chão. Não é possível ver o que acontece, mas a cliente permanece gritando durante todo o tempo em que está caída.

O caso foi registrado e está sob responsabilidade da 5ª DP.

O nome da denunciante não foi divulgado em nota da Polícia Civil à reportagem.