|
  • Bitcoin 122.400
  • Dólar 5,1649
  • Euro 5,2590
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 11/03/2022, 20:33

Motorista reclama de 'assalto' pela janela, pelo posto de gasolina e pelo aplicativo

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 11 de março de 2022

DANIELE MADUREIRA E FILIPE ANDRETTA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Memes de usuários reclamando do reajuste nos combustíveis tomaram as redes sociais nesta sexta-feira (11). Parte deles se assustou com o aumento do preço da corrida dos aplicativos, um dia depois de a Petrobras anunciar uma alta de 18,8% na gasolina.

Mas a maior queixa partiu dos próprios motoristas de aplicativos, contra a falta de reajustes por parte das duas grandes empresas com atuação nacional: 99 e Uber. Após ameaça de paralisação dos motoristas, as empresas prometeram ajudar os "parceiros": 99 vai ampliar em 5% o repasse das corridas pagas aos motoristas e a Uber anunciou um pacote de R$ 100 milhões em "iniciativas voltadas ao aumento dos ganhos e redução dos custos dos nossos parceiros".

Até 40% do valor das corridas fica retido pela plataforma de aplicativos de transporte, apurou a reportagem. Em setembro, Uber e 99 promoveram reajustes no repasse aos motoristas para compensar a alta acumulada dos combustíveis no ano passado. Foi uma tentativa de frear o crescente número de cancelamentos de corridas, quando o trajeto não compensava o deslocamento.

A Uber concentrou a maioria das queixas nas redes sociais nesta sexta (11), tanto de motoristas quanto de passageiros, que reclamam até da falta de ar-condicionado em carros no Rio, mesmo sob um calor de 40º.

Uma usuária do Instagram do Uber reclamou nesta sexta (11): "Assaltos a carros aumentaram mais de 70% no Rio de Janeiro, porque temos que andar com as janelas abertas". Ao que outro usuário, motorista, respondeu: "O motorista tem 3 escolhas: o assalto pela janela ou pelo posto de combustível ou pela plataforma, em taxas absurdas", disse. "Infelizmente, somente nós, motoristas e passageiros, que estamos no prejuízo", completou.

O motorista que respondeu à usuária do Instagram é Willer Teixeira, 36 anos, que trabalha para Uber e 99 há três anos. "Nenhum aumento chegou à categoria de verdade no ano passado", disse ele à reportagem. Em Belo Horizonte, onde trabalha, há muito assalto no trânsito.

Os repasses de ganhos de viagens não são transparentes, afirma. "A 99 é um pouco melhor que a Uber, mas reajuste no repasse eu não notei em nenhuma das duas. Temos muitos gastos com manutenção, combustível e locação de veículos e isso não é compensado", diz ele. "Agora, com o reajuste da Petrobras, tudo piora".

PARALISAÇÃO DOS MOTORISTAS NÃO ESTÁ DESCARTADA

Os motoristas estudam um protesto contra 99 e Uber, que pode ser inclusive a paralisação dos serviços.

"Estamos aguardando as tratativas dos governos e o reajuste nas tarifas vindo das empresas", diz Eduardo Lima, presidente da Amasp (Associação dos Motoristas de Aplicativos de São Paulo). "Se as medidas anunciadas não gerarem um efeito convincente, não descartamos a paralisação", afirmou.

Segundo ele, na maioria das corridas, os motoristas têm prejuízo. "Muitos estão aumentando a carga de trabalho para ter lucro, selecionando só as melhores corridas", diz Lima. "Mas para as empresas é como se nada estivesse acontecendo. Essa despesa [com combustíveis] é do motorista, não delas. Sabem que, mesmo com os aumentos, motoristas vão para as ruas porque estão endividados, têm prestação do veículo para pagar".

De acordo com Lima, os aplicativos dizem que, se aumentarem o preço da corrida, a demanda cai. "Mas eles precisam entender que, sem um reajuste, o modal vai acabar, não se sustenta. O motorista vai ter que tirar dinheiro do bolso para que o passageiro chegue ao seu destino. Eles vão abandonar as plataformas", diz ele.

A possível manifestação está sendo estudada com a união das categorias que trabalham para os aplicativos, incluindo moto entregadores e caminhoneiros, diz ele.

Já Gilberto Almeida dos Santos, presidente do SindimotoSP (Sindicato dos Mensageiros Motociclistas, Ciclistas e Mototaxista Intermunicipal do Estado de São Paulo), afirma que ainda é cedo para anunciar uma greve.

"No nosso meio, ainda tem muito bolsonarista", diz. "Com toda a situação em que o país se encontra, ainda tem trabalhador precarizado que defende o [presidente Jair] Bolsonaro", afirma.

Na opinião de Santos, porém, o governo federal aproveitou a guerra para empurrar mais um reajuste "goela abaixo". "Esse governo não tem compromisso com o povo", afirmou. "Estamos há cinco anos sem reajuste para os trabalhadores, e todo mês tem aumento no preço dos combustíveis."

99 PROMETE REPASSE MAIOR AO MOTORISTA, SEM SUBIR TARIFA; PREÇO NO UBER SOBE

A Uber anunciou na noite desta sexta-feira um pacote de R$ 100 milhões no Brasil nas próximas semanas.

Segundo a empresa, o capital será aplicado "em iniciativas voltadas ao aumento nos ganhos e redução dos custos dos nossos parceiros, além de um reajuste temporário no preço das viagens", informa em nota. "O pacote faz parte de uma iniciativa global da empresa diante da instabilidade no cenário internacional causada pelo conflito no leste europeu, que tem pressionado custos de insumos em todo o mundo, particularmente os combustíveis", diz o comunicado.

A empresa informa um "reajuste temporário de 6,5% nos preços", a ser aplicado nas viagens a partir da próxima semana. "O aumento também visa ajudar os motoristas a lidar com o pico de alta em seus custos operacionais", diz.

Em nota, a rival 99 afirmou que "passará a oferecer uma compensação financeira pela nova escalada no valor dos combustíveis", com o objetivo de "anular o último aumento anunciado para o litro da gasolina e por isso reajusta em 5% o km rodado no ganho do motorista de todo o país".

De acordo com a empresa, o acréscimo será implementado nos próximos dias em todas as 1.600 cidades onde a 99 opera no Brasil.

"Paralelamente, a plataforma está testando uma solução de subsídio para acompanhar automaticamente as flutuações dos combustíveis, tanto para cima quanto para baixo. Após os testes, o novo recurso teria o potencial de trazer ainda mais transparência e segurança aos parceiros", informou a 99, em nota.

No Instagram da 99, um motorista reclamou: "Pelo amor de Deus, tomem vergonha, combustível subiu para R$ 8, olhem essas tarifas! Estamos sendo explorados e sendo motivo de chacota para os passageiros".

"E aí 99, quando realmente vão ajudar os motoristas? Somos nós que deixamos vocês cada dia mais bilionários, quando vão olhar pelos motoristas?", questionou um usuário do Instagram. Outro reclamou: "Quero ver se vão conseguir manter essas publicidades milionárias com a debandada de motoristas que vai ter, esse novo aumento da gasolina foi a última gota! Só otário vai continuar dirigindo com essa tarifa".

Já os usuários do Instagram na página da Uber disseram que este é o pior momento da categoria. "Gasolina mais alta da história e a corridinha para motorista sai a R$ 3,75. Até quando a Uber vai negligenciar isso e continuar repassando essa merreca?! Nem os passageiros aguentam mais tanto descaso!", afirmou um usuário.

"Gasolina em algumas regiões chega a quase R$ 9 e o nosso repasse cada vez menor, expliquem como os motoristas, os pais e mães de família vão poder se sustentar?", questionou um usuário, na página do Uber no Instagram. "Vai paralisar, porque ninguém vai conseguir comprar combustível", afirmou outro.