|
  • Bitcoin 105.148
  • Dólar 5,2019
  • Euro 5,4318
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 13/03/2022, 07:45

Morre Lisete Arelaro, educadora que disputou a eleição em SP pelo PSOL

PUBLICAÇÃO
domingo, 13 de março de 2022

CRISTINA CAMARGO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A professora Lisete Arelaro, candidata ao governo de São Paulo pelo PSOL em 2018, morreu aos 76 anos na noite deste sábado (12), vítima de câncer no estômago. Pedagoga e doutora em educação, ela fez parte da equipe do educador Paulo Freire na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo entre 1989 e 1992, na administração da ex-prefeita Luiza Erundina.

"Estou terrivelmente triste com a partida da querida amiga Lisete Arelaro. Deixa um valioso legado como educadora e como militante socialista. Vai fazer uma enorme falta na nossa dura luta em defesa da democracia e pela construção de mundo mais justo e solidário", disse Erundina sobre a morte da ex-colaboradora.

Lisete foi professora e diretora de escolas nos ensinos fundamental e médio, secretária de Educação em Diadema, na região metropolitana de São Paulo, e diretora da Faculdade de Educação da USP. Na disputa pelo governo de São Paulo, a professora ficou em oitavo lugar, com 507 mil votos (2,51%).

Em meio a críticas aos governos do PSDB no estado, durante a campanha Lisete apresentou promessas de gestão como tarifa zero aos domingos no transporte público estadual e reposição salarial aos professores. No lançamento da candidatura, disse que pretendia reativar salas de aula noturnas e que terminaria obras paradas no estado.

Segundo o presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, ela foi uma das maiores defensoras da educação pública no Brasil. "É um dia triste para a esquerda. Mas seguiremos sua luta", afirmou.

Lisete participou das discussões para a fundação do PT, nos anos 1980, e foi filiada ao partido de 1981 a 2003. Saiu por causa da reforma previdenciária proposta no primeiro mandato do ex-presidente Lula. Em 2013 ela foi para o PSOL.

"Eu gosto de falar que todo professor é político. Há 50 anos eu discuto e faço política educacional. O que é ser político? É se colocar diante dos interesses da população e não dos particulares", afirmou, em entrevista à Folha, em 2018.

"Companheira leal e uma das grandes educadoras deste país. Muita força para todos os familiares. Lisete, querida, vá em paz! Sua memória será uma inspiração para seguirmos em frente", disse o líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), Guilherme Boulos, que foi candidato à prefeitura de São Paulo em 2020 pelo PSOL.

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) escreveu nas redes sociais que Lisete foi uma das mulheres mais inspiradoras que já conheceu. "Partiu no dia de hoje, mas seu legado permanece".

"Tive o privilégio de estar poucas vezes com ela, mas todas foram sempre maravilhosas. Uma educadora gigante e de importância ímpar. Meus sentimentos aos familiares", disse a vereadora Erika Hilton (PSOL-SP).