|
  • Bitcoin 102.564
  • Dólar 5,2536
  • Euro 5,4903
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 07/03/2022, 15:45

Morcegos são colocados em geladeiras para serem resgatados da Ucrânia

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 07 de março de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Em meio à guerra na Ucrânia, os membros de uma instituição de caridade dedicada à preservação da vida selvagem tomaram a decisão de deixar o país, mas sem abandonar os animais resgatados, entre eles, cerca de 100 morcegos.

A Bats Ukraine é conhecida como a maior organização de proteção de morcegos no leste europeu. Estima-se que sua equipe já resgatou 93 animais que estavam sob seus cuidados antes do início da invasão do exército russo ao território ucrâniano, no fim de fevereiro.

Depois que o bombardeio atingiu grande parte da cidade de Kharkiv, no nordeste do país, onde a instituição está localizada, os funcionários se viram obrigados a fugir às pressas.

Contudo, para garantir que os morcegos sobrevivessem ao deslocamento, eles os colocaram dentro de alguns refrigeradores, de modo que os animais tivessem conforto, segurança e estabilidade térmica para ficarem num estado semelhante ao da hibernação.

Alguns destes eletrodomésticos foram doados à ONG para facilitar a retirada dos morcegos do país.

O método inusitado foi uma solução rápida dos funcionários diante do avanço russo sobre o território. Em um vídeo feito pela equipe, os morcegos são vistos bem acomodados dentro de um dos refrigerados e aglomerados enquanto dormem. Ao mesmo tempo que continuam recebendo os cuidados veterinários durante a fuga.

A gravação circulou pelas redes sociais e a iniciativa foi aplaudida por muitos internautas. No entanto, muitos questionaram a facilidade de retirar animais da Ucrânia, enquanto grupos humanos minoritários são discriminados e impedidos de deixar o país em meio ao fogo cruzado.

"Eles estão protegendo os morcegos. Mas também vimos vários vídeos de pessoas negras tentando fugir por segurança e sendo bloqueados à força sob a mira de uma arma", lamentou um usuário do Instagram.

Por outro lado, diante de várias indignações com os desiguais esforços de resgate dos civis, outro internauta comentou: "Para todos os críticos, minha pergunta é, e o que você está fazendo por eles? É muito fácil criticar aqueles que estão sofrendo com uma guerra de um lugar confortável".

Mais de 1,5 milhão de pessoas deixaram o território ucraniano desde o início do conflito. Desse total, dois terços —cerca de 1 milhão— foram para a Polônia.