Missão Inspiration4, da SpaceX, deve deixar concorrentes do turismo espacial comendo poeira


PHILLIPPE WATANABE
PHILLIPPE WATANABE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os primeiros civis a se aventurar sozinhos fora da Terra, sem a presença de astronautas profissionais, estão prestes a decolar em um foguete da empresa privada SpaceX, do bilionário Elon Musk. O voo está agendado para a noite desta quarta-feira (15).

A missão Inspiration4, a bordo da cápsula Crew Dragon, não deve ficar tão longe de casa, porém, permanecendo na órbita do nosso planeta por cerca de três dias.

O tempo não parece tão longo, mas já é muito maior do que os poucos minutos que as experiências recentes de turismo espacial proporcionaram aos viajantes.

Se você está achando que se trata de mais um voo privado de bilionários ao espaço, em parte, você está certo. Sim, é um voo privado e tem um novo bilionário que decolará em um foguete. Desta vez, é Jared Isaacman, 38, fundador da empresa de pagamentos Shift4 Payments.

Mas há um tanto a mais nessa missão, em relação aos voos privados recentes do empresário Richard Branson, dono da Virgin Galactic, e do CEO da Amazon, Jeffrey Bezos, dono da companhia espacial Blue Origin.

Primeiro, como já dito, a questão da tripulação: a primeira composta totalmente por civis --logicamente, nenhum deles terá a responsabilidade de pilotar a nave. O comando é automatizado, observado por engenheiros que ficam em terra firme.

Além de Isaacman, outras três pessoas foram escolhidas para integrar o voo. Daí, inclusive, vem o nome da missão, Inspiration4. A ideia é ter representados na nave valores como liderança, esperança, generosidade e prosperidade.

A ideia de liderança está a cargo de Isaacman, que inclusive tem experiência como piloto. É ele, com sua fortuna, que paga pelas vagas dos colegas de voo. O valor desembolsado não foi divulgado.

A esperança está associada a Hayley Arceneaux, 29, assistente médica do hospital infantil St. Jude, em Memphis, no Tennessee (EUA), que superou um câncer --sendo tratada nesse mesmo hospital-- quando tinha 10 anos de idade.

Além disso, Arceneaux será a pessoa mais jovem a chegar ao espaço e a primeira a fazer isso com uma prótese (como consequência do tumor ósseo, uma parte dos ossos da perna esquerda dela tiveram que ser substituídos).

A generosidade está associada a Christopher Sembroski, 42. Ele fez uma doação para o hospital St. Jude (ao todo, a missão pretende levantar cerca de US$ 200 milhões para a instituição), em um concurso promovido por Isaacman para sortear um felizardo para entrar a bordo.

O engenheiro acabou não tendo sorte de cara. A vaga não veio para ele, mas, sim, para um amigo, que, pelo entusiasmo de Sembroski pelo assunto, resolveu redirecionar o prêmio.

Por fim, a prosperidade está associada a Sian Proctor, 51, geóloga e empreendedora que quase chegou a ser astronauta pela Nasa e agora realizará o sonho de ir ao espaço. Assim, ela se tornará a quarta mulher negra a alcançar o feito.

Proctor conseguiu seu lugar na nave ganhando um concurso da empresa de Isaacman, no qual os participantes tinham que usar o software da Shift4 Payments para montar uma loja online e tuitar vídeos sobre seus sonhos relacionados a empreendedorismo e espaço.

Mas, para além da tripulação 100% civil, a missão Inspiration4 deve fazer história também por questões técnicas.

Os voos feitos até o momento por outros bilionários duraram pouquíssimo tempo. "Você sobe, sobe, sobe, passa a linha que limita o espaço e desce", resume Cássio Barbosa, astrofísico do Centro Universitário FEI. "É um míssil que sobe, acaba o combustível e ele desce", brinca.

Isso porque as missões comerciais anteriores, realizadas em julho pela Virgin Galactic, empresa de Branson, e pela Blue Origin, de Bezos, foram voos suborbitais. Nesse tipo a velocidade não costuma exceder os 4.000 km/h.

"Não tem graça falar de espaço em um voo suborbital que dura minutinhos, que é só para enxergar a curvatura da Terra e ver o espaço escuro", diz Barbosa.

"Vai experimentar a gravidade zero, mas qualquer em montanha-russa de respeito você consegue ter o mesmo friozinho na barriga."

Já para um voo orbital, como é o caso da atual missão da SpaceX, uma cápsula precisa chegar a velocidades maiores do que 27.000 km/h. Há, com isso, uma diferença no tamanho do foguete necessário, nos riscos e na complexidade da tarefa.

A tripulação dará uma volta completa no globo terrestre a cada 90 minutos, em uma velocidade de cerca de 22 vezes a do som. A órbita ao redor da Terra será mais distante do que a da Estação Espacial Internacional e do telescópio Hubble.

Segundo o especialista da FEI, a Inspiration4 é diferente de tudo o que se viu até o momento na área de turismo espacial. "É um voo realmente espacial, no sentido que a gente está acostumado."

A cápsula Crew Dragon, que levará os três sortudos e o bilionário para o espaço, foi originalmente desenvolvida para fornecer serviços de transporte de tripulação à Nasa.

Com ela, desde o ano passado, já foram feitas três missões com tripulação até a Estação Espacial Internacional. A cápsula estará a bordo de um foguete reutilizável Falcon 9.

Se Branson e Bezos foram os primeiros no turismo espacial, Musk parece, pelo menos em parte, ter ultrapassado os outros bilionários.

Somente "em parte", por uma questão prática. Considerando que voos suborbitais já são para poucas pessoas na Terra, pelo volume de dinheiro movimentado, missões orbitais, como a da SpaceX, devem ter menos candidatos ainda no planeta, prevê Barbosa.

"Envolve uma mobilização de infraestrutura muito grande, o que leva os custos a um patamar muito superior", diz o pesquisador.

Barbosa afirma que, após os voos turísticos suborbitais e orbitais, o próximo passo, um grande passo para a iniciativa privada na próxima década, pode ser a instalação de hotéis na órbita da Terra.

"Seria uma futura utilização da Estação Espacial", explica. "Ficaria a cargo da iniciativa privada fazer uma pousada para ficar alguns dias."

Como assistir ao lançamento O voo deve ter início no cabo Canaveral, na Flórida (EUA), a partir das 21h01 (horário de Brasília) desta quarta-feira (15), com uma janela de lançamento de cerca de cinco horas.

A missão poderá ser assistida ao vivo pelo canal de YouTube da SpaceX e também pelo espaço da Netflix na plataforma de vídeo.

Mais detalhes sobre o lançamento podem ser acompanhados também pelas redes sociais da SpaceX, da missão Inspiration4 e também dos civis envolvidos no voo.

A empreitada de levar civis ao espaço deu origem ainda a uma série documental da Netflix. Quatro episódios já estão disponíveis na plataforma de streaming.

Para além da transmissão ao vivo, em breve, portanto, o lançamento e a aventura espacial devem ficar disponíveis como novos capítulos no serviço.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo