|
  • Bitcoin 153.100
  • Dólar 5,0570
  • Euro 5,2600
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 29/03/2022, 16:29

Ministra diz que não houve corrupção no governo Bolsonaro, mas omite MEC

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 29 de março de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, cumpriu nesta terça-feira (29) sua última agenda oficial no cargo. Em discurso ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL) em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, Tereza afirmou que não há corrupção no atual governo.

"Nós fizemos muito com muito pouco [dinheiro], presidente, porque não houve corrupção no seu governo", falou. "Todos os ministros, nós trabalhamos de maneira integrada", completou.

A afirmação dela ocorre um dia depois da saída de Milton Ribeiro do MEC (Ministério da Educação), resultado da divulgação de um áudio, obtido pela Folha de S.Paulo, no qual ele afirma que o governo federal prioriza a liberação de verbas a prefeituras ligadas a dois pastores.

Na gravação, o então ministro chega a dizer que o favorecimento seria um pedido de Bolsonaro. No entanto, após o áudio se tornar público, Ribeiro isentou o presidente de culpa.

Antes de pedir demissão, ele disse em entrevistas que havia solicitado, em agosto do ano passado, que a CGU (Controladoria-Geral da União) investigasse a atuação dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura no MEC. O órgão de controle, na semana passada, afirmou que recebeu o pedido de investigação.

A apuração foi encerrada em 3 de março deste ano. A Controladoria isentou agentes públicos, mas concluiu que há indícios de irregularidades de "terceiros", que não foram identificados, na liberação de recursos do ministério. A conclusão da investigação foi encaminhada à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal.

Apesar do afastamento de Ribeiro do MEC, a Comissão de Educação do Senado Federal manteve o convite para que o ex-ministro preste esclarecimentos sobre denúncias envolvendo lobby e propinas durante sua gestão à frente da pasta.

Presidente da Comissão de Educação, o senador Marcelo Castro (MDB-PI) afirmou que a audiência está mantida e marcada para esta quinta-feira (31), às 9h15. A presença de Milton Ribeiro não é obrigatória.

Na semana passada, Bolsonaro chamou de "covardia" a reação da oposição contra Ribeiro após a divulgação do áudio e disse que botaria "a cara no fogo" pelo ministro.

Michelle Bolsonaro comentou a saída de Ribeiro da pasta ontem à noite: "Só posso dizer que eu amo a vida dele. Deus sabe de todas as coisas, vai provar que ele é uma pessoa honesta, e justa, fiel e leal".

O discurso de Tereza Cristina hoje marca o último dia dela como ministra, já que deixará o cargo para competir por uma vaga no Senado pelo Mato Grosso do Sul. "Estou muito emocionada", falou no evento. A plateia, por sua vez, respondeu com gritos de "senadora".

A ministra aproveitou seu discurso hoje também para falar da internação de Bolsonaro, que já foi liberado do hospital. "O presidente ontem não se sentiu bem, ele trabalha muito. Quando liguei ontem à noite falaram que estava tudo bem e mantido, o médico é que não sabe mas ele está aqui", afirmou.