Lucro do Itaú sobe 63,6% no primeiro trimestre e atinge R$ 6,4 bilhões


ISABELA BOLZANI
ISABELA BOLZANI

<p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Itaú Unibanco registrou uma alta de 63,6% no lucro do primeiro trimestre deste ano em relação a igual período de 2020, para R$ 6,398 bilhões, informou o banco nesta segunda-feira (3).

</p><p>Em relação ao quarto trimestre do ano passado, o avanço foi de 18,7%. O resultado superou as estimativas dos analistas de mercado, que esperavam um lucro de R$ 5,861 bilhões, segundo média levantada pela Bloomberg.

</p><p>O Itaú é o segundo entre os grandes bancos a divulgar os ganhos referentes ao primeiro trimestre —o primeiro foi o Santander, que registrou lucro de R$ 4,012 bilhões no período.

</p><p>O resultado do Itaú reflete uma redução do custo de crédito do banco e uma maior carteira de crédito no período.

</p><p>Segundo relatório divulgado nesta segunda-feira (3), o custo de crédito caiu 59,2% no primeiro trimestre em relação a igual período de 2020, para R$ 4,1 bilhões. O resultado vem do recuo de 57,3% nas reservas feitas para cobrir possíveis calotes (provisões) e de alteração no impairment (custo de deterioração) de ativos financeiros, que saiu de uma despesa de R$ 89 milhões para ganhos de R$ 48 milhões após a reversão de um cliente específico que teve a dívida reestruturada.

</p><p>"A redução no custo do crédito ocorreu devido ao provisionamento feito em março de 2020, devido à alteração do cenário macroeconômico e das perspectivas financeiras das pessoas e das empresas, capturada por nosso modelo de provisionamento por perda esperada", afirmou o banco em relatório.

</p><p>A carteira de crédito do Itaú no Brasil —incluindo garantias financeiras e títulos privados— somou R$ 668,6 bilhões, alta de 12,8% na mesma base de comparação. As concessões de recursos para grandes empresas, que têm a maior participação na carteira, totalizaram R$ 279 bilhões, aumento de 11,5%.

</p><p>Os empréstimos para pessoas físicas, por sua vez, subiram 9,8%, para R$ 261,3 bilhões. Já o crédito para micro, pequenas e médias empresas registrou avanço de 22,7%, para R$ 128,3 bilhões.

</p><p>A carteira total do banco, considerando América Latina, totalizou R$ 906,4 bilhões no primeiro trimestre, alta de 15% na mesma relação.

</p><p>A carteira de crédito renegociado do banco atingiu R$ 36,9 bilhões, alta de 16,4% em relação ao primeiro trimestre de 2020 e avanço de 2,8% em comparação aos três meses anteriores.

</p><p>"O aumento da carteira de crédito renegociado ocorreu em carteiras que estavam com até 90 dias de atraso no momento da renegociação, tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas", afirmou o banco em relatório.

</p><p>O índice de inadimplência acima de 90 dias do Itaú ficou em 2,3%, valor estável em relação ao trimestre imediatamente anterior e uma queda de 0,8 p.p. (ponto percentual) em comparação aos primeiros três meses de 2020.

</p><p>Especificamente na carteira de micro, pequenas e médias empresas, no entanto, o índice de inadimplência atingiu 2,5% no primeiro trimestre deste ano, alta de 0,8 p.p. em relação ao visto nos três meses imediatamente anterior e avanço de 0,2 p.p. na comparação anual.

</p><p>O banco atribuiu a alta principalmente ao fim da carência de contratos que foram flexibilizados nos trimestres anteriores.

</p><p> "Este efeito foi compensado pela redução do atraso em cartão de crédito de pessoas físicas, cujo índice atingiu o menor patamar desde a fusão entre Itaú e Unibanco. O índice do segmento de grandes empresas ficou estável em relação ao trimestre anterior, no menor patamar desde 2012", completou.

</p><p>A margem financeira do banco (principal receita, com operações de crédito) totalizou R$ 18,6 bilhões, avanço de 4,7%. O aumento foi principalmente impulsionado pela margem com o mercado, que atingiu R$ 2,5 bilhões -mais do que o triplo do registrado no primeiro trimestre de 2020.

</p><p>As receitas com prestação de serviços atingiram R$ 9,6 bilhões, alta de apenas 0,5% na mesma base de comparação.

</p><p>*

</p><p>RAIO-X DO ITAÚ NO 1º TRIMESTRE

</p><p>

</p><p>Lucro líquido

</p><p>R$ 6,398 bilhões

</p><p>

</p><p>Carteira de crédito no Brasil

</p><p>R$ 668,6 bilhões

</p><p>

</p><p>Margem financeira

</p><p>R$ 18,6 bilhões

</p><p>

</p><p>ROE (Retorno sobre o Patrimônio Líquido)

</p><p>18,5%

</p><p>

</p><p>Funcionários

</p><p>97.097

</p><p>

</p><p>Agências e pontos de atendimento

</p><p>4.334

</p><p>

</p><p>Principais concorrentes

</p><p>Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Santander</p>

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo