|
  • Bitcoin 148.977
  • Dólar 4,8801
  • Euro 5,1592
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 22/02/2022, 18:54

Doria anuncia início de obras do monotrilho que ligará estação de trem ao aeroporto de Cumbica

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

WILLIAM CARDOSO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta terça-feira (22) que as obras do "people mover", o monotrilho que ligará a linha 13-Jade ao aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande SP), deverão começar imediatamente. Apesar do anúncio, o passageiro só poderá embarcar no trenzinho da iniciativa privada a partir de 2024, como reportagem já havia demonstrado em agosto do ano passado. Ou seja, os prazos foram mantidos.

A novidade foi a liberação do TCU (Tribunal de Contas da União), no começo de fevereiro, para início das obras do consórcio contratado pela concessionária GRU Airport, responsável pelo aeroporto e por levar adiante o "people mover". Serão investidos R$ 272 milhões, que, após negociação intensa ao longo dos últimos anos, serão custeados com recursos da outorga da concessionária --como diz o próprio TCU, com recursos públicos.

Quem precisa fazer o trajeto entre Cumbica e a estação da Luz (no centro de São Paulo) conta hoje com o expresso da linha 13-Jade. O problema é que os terminais do aeroporto ficam distantes da estação Aeroporto da CPTM, o que obriga os usuários a pegarem um dos ônibus gratuitos cedidos pela concessionária GRU Airport para fazer o deslocamento.

Essa baldeação acaba aumentando o tempo de viagem. Para ir da estação até o terminal 2, o mais movimentado, o ônibus leva quase 10 minutos. Além disso, a distância causa desconforto nos passageiros, obrigados a arrastar malas pelas escadas e se apinhar nos coletivos.

Embora seja uma obra privada, com liberação dependente da ação de órgãos da esfera federal, Doria disse nesta terça que atua desde a chegada ao Palácio dos Bandeirantes para resolver um problema que já caracterizou como "bizarro" e que hoje voltou a afirmar que se tratava de uma "piada" --o fato de a estação Aeroporto ficar a 2,5 km dos terminal 3, por exemplo. "Estamos falando de três anos de negociações, entendimentos, projetos, viabilização e início imediato das obras", disse o governo.

O "imediato" a que se refere Doria não significa que ainda nesta semana os primeiros canteiros de obra serão instalados pelo consórcio contratado pela GRU Airport. Segundo o secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, haverá agora a fase de liberação, o que vai depender da publicação do acórdão. "Depende dessa formalidade, que é importante", afirmou.

Segundo Galli, o início não depende do governo estadual, já que se trata de uma obra privada, mas até março a construção de fato do "people mover" deverá andar. "No máximo em um mês, a gente já vai começar a ver obras em canteiros", disse.

O governo estadual isentou de ICMS os bens e serviços referentes à instalação do monotrilho. A renúncia fiscal é estimada em R$ 16,4 milhões e, segundo Doria, justificada porque o serviço de ligação entre a estação da CPTM e o aeroporto será gratuito --o passageiro paga para usar a linha 13-Jade, mas não o monotrilho.

Os entendimentos entre os entes da federação, a iniciativa privada e mesmo o órgão fiscalizador foram tão grandes que até o ministro Vital do Rego, do TCU, participou da entrevista coletiva desta terça, já ao final.

Chamando o governador de São Paulo de "meu queridíssimo amigo", Vital do Rego fez elogios a todas as partes envolvidas. "É uma obra interessantíssima. O monotrilho foi auditado aqui pelo TCU. Fizemos uma série de exigências que a concessionária cumpriu até o último instante, quando foi aprovado, há três semanas", contou.

Segundo o ministro do TCU, entre as exigências está o monitoramento da execução do projeto. "Fizemos questão, por ser dinheiro público, da concessão, de fazer ao longo da obra também o processo de monitoramento", contou. "Estamos em paz e felizes", completou.

HISTÓRICO

Entre outros motivos, o trem não chegou até hoje ao aeroporto porque, assim que assumiu a concessão, a GRU Airport disse que construiria um hotel ou shopping em parte do terreno, o que inviabilizaria a estação dentro do aeroporto. Como compensação, disse que ofereceria um transporte alternativo entre a linha da CPTM e os terminais --os atuais ônibus gratuitos.

Uma conexão rápida entre o centro da capital e Cumbica é um projeto que teve início em 2002, com Geraldo Alckmin (PSDB). O problema parecia perto do fim com a inauguração da estação Aeroporto, em 2018, mas ela fica longe para quem quer acessar diretamente o check in.

Logo depois de tomar posse no Palácio dos Bandeirantes, o governador João Doria (PSDB) criticou o fato de o trem não chegar aos terminais. "Não faz sentido transporte público que não leva até o aeroporto. É tão bizarro que é difícil acreditar que isso tenha sido feito no estado de São Paulo", disse, em janeiro de 2019, com a promessa de buscar uma alternativa junto à concessionária GRU Airport e ao governo federal.