|
  • Bitcoin 105.795
  • Dólar 5,2368
  • Euro 5,5080
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 08/03/2022, 15:30

Dilma chama Arthur do Val de nefasto e cita ataques do MBL em seu impeachment

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 08 de março de 2022

VICTORIA AZEVEDO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) criticou as declarações sexistas do deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei, sobre mulheres ucranianas, e relembrou os ataques que recebeu do MBL (Movimento Brasil Livre) durante o processo de seu impeachment. O deputado faz parte do movimento.

"Nós vimos o deputado Arthur Mamãe Falei ter talvez a manifestação mais deplorável de ódio, de violência e de desrespeito à mulher, ao falar das mulheres ucranianas pobres. É desqualificado, nefasto", disse a petista ao participar de evento do partido sobre o Dia Internacional da Mulher, na tarde desta terça (8).

"Ele mostra tudo o que há de mais corrupto, no sentido amplo da palavra, no patriarcalismo misturado com escravidão e neoliberalismo e, no caso dele, neofascismo também", seguiu a petista.

A ex-presidente também relembrou os ataques que recebeu do MBL durante o processo de seu impeachment e criticou o que chamou de "dupla moral" de parte da sociedade, inclusive da imprensa, ao reagir às declarações naquele momento.

"As frases que o MBL usou para me qualificar naquele momento foram 'burra', 'vagabunda', 'prostituta', 'vai para casa', 'vai para o tanque', algo assim. E pairou um silêncio generalizado. Naquele momento, o MBL foi ultra valorizado", continuou a petista.

"A dupla moral é esclarecedora também do fato de que a imprensa não adota sempre padrões de tratamento adequado às mulheres, só quando lhe interessa. Só quando vem em apoio a alguma coisa que ela defende. E, no meu caso, não me defendia, nós sabemos disso", disse ainda.

Nesta terça (8), o Podemos anunciou que acatou a desfiliação do deputado Arthur do Val, alvo de processo de expulsão da legenda após o vazamento dos áudios.

O parlamentar, que visitou a Ucrânia na semana passada, enviou áudios a amigos dizendo que as ucranianas são "fáceis" por serem pobres --e que a fila de refugiados da guerra tem mais mulheres bonitas do que a "melhor balada do Brasil".

Após a repercussão do caso, Arthur retirou a sua candidatura ao governo de São Paulo pela legenda. Ele admitiu que enviou os áudios a um grupo de amigos.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o parlamentar afirmou que irá se afastar do MBL (Movimento Brasil Livre) e se defendeu de uma possível cassação na Assembleia Legislativa de São Paulo.