|
  • Bitcoin 148.759
  • Dólar 4,9085
  • Euro 5,2005
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 28/03/2022, 21:58

Deputado do Rio tenta na Justiça cancelar evento com Lula na Uerj

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 28 de março de 2022

RAI AQUINO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O deputado estadual do Rio Alexandre Freitas (Podemos) tenta na Justiça cancelar o evento marcado para esta semana na Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Freitas entrou com um pedido de tutela de urgência no TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio) para que o evento não aconteça. O parlamentar também foi ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para que não haja propaganda política no evento realizado na universidade fluminense.

Além de Lula, o evento "Democracia e Igualdade - Para um novo modelo solidário de desenvolvimento" reunirá diversos outros nomes ligados ao Partidos dos Trabalhadores na Uerj, nesta terça (29) e quarta-feira (30). A ex-presidente Dilma Rousseff, e a presidente do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), estão entre os confirmados.

O evento também contará com a presença da vice-presidente da Espanha, Yolanda Díaz, e dos ex-presidentes da Espanha e da Colômbia, José Luís Zapatero e Ernesto Samper, respectivamente.

Lula vai participar do encerramento do evento na quarta, a partir das 16h. O petista está no Rio deste o último sábado (26), quando participou de uma comemoração pública pelos 100 anos do PCdoB, em Niterói, na Região Metropolitana fluminense.

Ao pedir o cancelamento do evento ao TJRJ, Freitas cita o reitor da Uerj, Ricardo Lodi Ribeiro, como filiado do Partido dos Trabalhadores. O deputado alega que Lodi "busca promover verdadeiro evento político-partidário com recursos e espaço públicos".

"A narração dos fatos ora expostos demonstra que o reitor pretende, com o evento 'Democracia e igualdade: para um novo modelo solidário de desenvolvimento', realizar verdadeira defesa político-partidária de um pré-candidato à Presidência da República e do projeto de governo do Partido dos Trabalhadores", alega Freitas, na peça enviada à Justiça fluminense.

Ao pedir ao TSE liminar para que o evento não tenha propaganda eleitoral antecipada, o que já é proibido pela lei eleitoral, Freitas diz que existe uma "militância do corpo diretivo da universidade". O deputado afirma que o evento é um "comício disfarçado de encontro internacional".

"As manobras de dissimulação beiram às raias do infantil, como se as distorções dos conceitos pudessem autorizar o uso dos equipamentos públicos de uso especial da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Uerj, para palanque eleitoral do candidato de estimação", alega o deputado, na peça enviada ao TSE.

A reportagem entrou em contato com a Uerj sobre as representações feitas pelo deputado, mas até a última atualização da reportagem não havia obtido retorno.