|
  • Bitcoin 142.478
  • Dólar 4,8179
  • Euro 5,1658
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 19/03/2022, 20:21

De 'Envolver' a 'Girl from Rio', Anitta tentou emplacar hits no exterior e chegou lá

PUBLICAÇÃO
sábado, 19 de março de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Não é de hoje que Anitta, uma das maiores estrelas da música brasileira atual, investe no mercado internacional cantando em português, espanhol e inglês. Numa entrevista à revista americana Billboard, ela disse, inclusive, que se sente como se tivesse três carreiras diferentes.

"No Brasil, o público gosta de se sentir próximo dos artistas —tem uma intimidade, como se o artista fosse seu amigo. Na América Latina, é um pouco machista. É sobre o que os homens querem e letras que fazem você se sentir poderoso, como heróis. Nos Estados Unidos, os ouvintes gostam de se sentir ‘cool’, eles querem parecer ‘cool’. São três mundos diferentes, e sinto como se tivesse três carreiras diferentes."

Mas, desde que a cantora começou sua investida no mercado estrangeiro, nem tudo foi um sucesso. "Girl from Rio" não chegou às paradas como esperado, e canções como "Faking Love" também não animaram muito o público.

Com "Envolver", a aposta da brasileira parece ter vingado. A canção em espanhol, que viralizou com dancinhas no TikTok, chegou à nona posição no Spotify e fez da cantora a primeira brasileira no top dez global da plataforma de streaming.

Antes do sucesso de "Envolver", a música de Anitta mais bem colocada no Spotify era "Vai Malandra", de 2017, que chegou a 18ª colocação. "Envolver" está ainda no top dez de Brasil, México, Equador, Panamá e Peru. No YouTube, o clipe da música ultrapassou 58 milhões de visualizações.

Abaixo, relembre as músicas que a artista tentou emplacar nos últimos anos.

*

GIRL FROM RIO

A música, com um sample de "Garota de Ipanema" em meio a batidas suaves de trap, é uma das apostas da cantora no mercado americano.

As promoções do single, lançado há menos de um ano, incluíram apresentações em conhecidos programas de TV daquele país, como Today Show e Jimmy Kimmel Live, além da premiação Video Music Awards, o VMA, da MTV, uma das mais importantes da indústria musical, e até em uma festa de fim de ano promovida pela cantora Miley Cyrus.

Acumulando 40 milhões de visualizações no YouTube, quase 60 milhões de reproduções no Spotify e com uma capa que foi recriada milhares de vezes por páginas da internet mundo afora, é possível dizer que foi uma de suas apostas mais acertadas, ainda que não tenha emplacado como hit.

A música entrou na lista Billboard 200 na posição de número 164 e rendeu um remix com o rapper americano DaBaby, mas sem tanta projeção quanto a versão original.

FAKING LOVE

A "garota do Rio" também apostou em parcerias com artistas americanos em "Faking Love", um pop que mira a linha de Beyoncé e Rihanna, mas com batidas mais próximas do reggaeton e do próprio funk. Cantada em inglês ao lado da rapper Saweetie e lançada também no ano passado, não emplacou nas paradas.

ME GUSTA

O single da cantora que teve um dos melhores desempenhos nas paradas globais foi "Me Gusta", de 2020, com participação da rapper americana Cardi B, nome de peso nos Estados Unidos, e do porto-riquenho Myke Towers. Com letras em inglês e espanhol, mistura elementos de pagode e do funk carioca a um pop latino.

Entre as cinco músicas de Anitta que chegaram à lista Billboard 200, "Me Gusta" alcançou o 37º lugar, sua melhor posição, e passou seis semanas na parada. Foi também sua primeira música a entrar para o Hot 100, que mede as músicas mais ouvidas, na 91ª posição. Ao lado de "Envolver", é um de seus trabalhos que conseguiu emplacar nos últimos anos.

Essa é também uma de suas canções mais ouvidas no Spotify, com 160 milhões de reproduções. O hit também rendeu uma apresentação –remota, por causa da pandemia– no The Tonight Show, popular talk show americano do apresentador Jimmy Fallon.

BOYS DON'T CRY

"Boys Don’t Cry" foi o single em que Anitta mais apostou para chegar ao ouvinte americano. O pop radiofônico vem na esteira do que vem fazendo sucesso nos Estados Unidos nos últimos anos e tem produção de um peso-pesado, o sueco Max Martin, que já trabalhou com quase todo mundo no universo pop, de Lady Gaga a Ed Sheeran, de Adele a Katy Perry. Anitta chegou, aliás, a apresentar a música no programa de Jimmy Fallon.

A música remete aos anos 1970 e 1980, na esteira do que vêm fazendo The Weeknd —outro produzido por Martin— e Dua Lipa. "Boys Don't Cry" também se juntou ao rol de canções que parecem resgatar o pop punk 15 anos depois do auge do movimento —até com a própria Avril Lavigne, que bombou nos anos 2000 com esse estilo, retornando às origens em novo disco.

ENVOLVER

Anitta parece ter finalmente decolado nas paradas de sucesso com essa canção em espanhol. Um dia depois de bater seu próprio recorde e chegar à 17ª posição do top 20 global do Spotify, a artista se tornou a primeira brasileira no top dez global da plataforma.

Talvez todo esse sucesso, aliás, seja resultado de mais uma dancinha de TikTok, que tem alterado a indústria musical. A coreografia que Anitta fez em seus shows para a canção viralizou na plataforma, com uma série de influenciadores imitando a brasileira. Por aqui, até Ana Maria Braga, apresentadora do Mais Você, na Globo, entrou no jogo e fez o movimento no seu programa, com o ex-BBB Gil do Vigor.