|
  • Bitcoin 103.865
  • Dólar 5,3014
  • Euro 5,5312
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 24/02/2022, 10:50

Dani Souza, que morou na Ucrânia com Dentinho, lamenta ataque russo ao país

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Dani Souza, 39, que ficou conhecida nacionalmente ao dar vida à Mulher Samambaia no programa Pânico na TV, demonstrou muita tristeza e preocupação com a guerra iniciada por Vladimir Putin contra a Ucrânia. Casada com o jogador de futebol Dentinho, ela morou até o ano passado no país, já que o marido atuava pelo Shakhtar Donetsk --ex-Corinthians, ele atuou pelo clube ucraniano por quase dez anos e voltou ao Brasil no fim do ano passado após não renovar o contrato com o time.

"Que horror! A gente sempre soube que ele poderia atacar e tomar a cidade [Kiev] em uma semana! Saímos da Ucrânia, mas nossos amigos e todos que conhecemos estão na cidade!", escreveu ela no Stories do Instagram.

Dani repostou vídeo de jogadores de futebol brasileiros que pedem ajuda para deixar a Ucrânia. "Precisamos ajudar a tirar esses brasileiros", disse ela. Dentinho também se mostrou muito preocupado com a situação do país e dos atletas brasileiros na região.

Após quatro meses de crise com o Ocidente, a Rússia decidiu atacar a Ucrânia nesta quinta-feira (24), naquilo que Kiev e a Otan (aliança militar ocidental) chamou de invasão total. É a mais grave crise militar na Europa desde a Segunda Guerra Mundial, e a maior operação do gênero desde que os Estados Unidos invadiram o Iraque, em 2003.

O presidente Vladimir Putin foi à TV para dizer que faria uma "operação militar especial" no Donbass, a área de maioria russa étnica no leste do vizinho. Seu comando militar, contudo, confirmou que "armas de precisão estão degradando a infraestrutura militar, bases aéreas e aviação das Forças Armadas ucranianas".

Há explosões ouvidas em diversos pontos do país e uma chuva de versões em redes sociais. Houve relatos de Kiev, negados depois pelo governo, de forças russas desembarcando em Odessa, importante porto no mar Negro. Na cidade, segundo o governo ucraniano, morreram ao menos seis pessoas em ataques com mísseis.