|
  • Bitcoin 120.535
  • Dólar 5,1670
  • Euro 5,2585
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 08/03/2022, 08:26

Coordenador do MBL cobra reação, fala palavrões e joga caneca no chão em live

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 08 de março de 2022

CRISTINA CAMARGO
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Irritado e falando vários palavrões, o coordenador nacional do MBL (Movimento Brasil Livre), Renan Santos, pediu durante uma live a reação da militância contra a possibilidade de cassação do mandato do deputado estadual Arthur do Val, o Mamãe Falei (Podemos-SP), após a repercussão das falas de cunho sexista sobre as mulheres ucranianas.

"Provavelmente vai ter a cassação do Arthur, estou sendo bem honesto, mantendo-se a situação atual", disse, nervoso, ao intervir na live comandada por Ricardo Almeida e Cristiano Beraldo, também da cúpula do movimento, no Youtube.

Renan Santos chegou a atirar no chão uma caneca que estava na mesa do estúdio.

"O Arthur fez merda? Ele fez merda. Agora vocês têm que colocar a mão na cabeça e falar o seguinte: é comparável um cara falar merda e ser cassado e um ladrão roubar seu dinheiro e não acontecer bosta nenhuma?", perguntou, aos berros. "Os vagabundos estão se movimentando e ele vai perder o mandato."

O coordenador disse que Arthur "lutou sozinho" contra o aumento de impostos em São Paulo e agora foi abandonado.

"A gente precisa começar a agir. Já deu o luto. Vai deixar ser cassado? Amanhã é o Kim [Kataguiri, deputado federal pelo Podemos], depois é o Rubinho [Nunes, vereador pelo Podemos], depois vocês vão ter que votar na bosta desses filhos da puta todos. Acorda, porra."

Renan Santos terminou a participação na live dizendo que iria passar instruções pelo Telegram do MBL, sem dar detalhes. Pouco depois, a live foi encerrada.

O deputado Arthur do Val deve começar a responder nesta semana, no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), a representações que podem levar à perda de seu mandato.

Onze pedidos que solicitam a punição do deputado foram protocolados na Casa desde sexta-feira (4), quando foram reveladas declarações de cunho sexista feitas por ele.

Um desses pedidos foi assinado por 17 parlamentares da Assembleia e entregue nesta segunda-feira (7). Outro foi entregue pela OAB-SP à presidência da Casa no fim da tarde. O Conselho de Ética, porém, diz ainda não ter recebido oficialmente essa representação.

O deputado, que visitou a Ucrânia na semana passada, enviou áudios a amigos dizendo que as ucranianas são "fáceis" por serem pobres -e que a fila de refugiados da guerra tem mais mulheres bonitas do que a "melhor balada do Brasil".