Centrais sindicais e partidos convocam para protestos contra Bolsonaro neste sábado


MÔNICA BERGAMO
MÔNICA BERGAMO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Centrais sindicais e partidos convocaram a população para aderir aos protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) marcados para este sábado (24).

Em nota divulgada nesta quarta (21), as entidades afirmam que a ação do governo federal no combate à epidemia da Covid-19 tem sido "marcada de maneira criminosa pela irresponsabilidade e o descaso com a defesa da vida no nosso povo".

O texto é assinado por entidades como a UNE (União Nacional dos Estudantes), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e a Central de Sindicatos Brasileiros, além de partidos como Cidadania, PSDB, Rede Sustentabilidade, PSB e PDT.

As entidades defendem o auxílio emergencial de R$ 600 e vacina contra a Covid-19 para todos. Segundo os organizadores, intergrantes do MDB também participarão. A ideia da iniciativa surgiu como tentativa de ampliar o caráter das manifestações para além do campo da esquerda, atraindo ouras vozes do centro e da centro-direita.

"Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e busca, inequivocamente, as condições para a imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas", segue e a nota.

Milhares de pessoas saíram às ruas em protestos contra o presidente no dia 29 de maio e no dia 19 de junho, em cidades do Brasil e do exterior.

Leia a íntegra da nota:

"BLOCO DEMOCRÁTICO - Em Defesa da Vida e da Democracia.

24 de Julho - #24J - Dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro

O Brasil vive uma das maiores tragédias da sua história, com a perda de 540 mil vidas para a pandemia do Covid 19. Nesse difícil momento, a ação do governo federal tem sido marcada de maneira criminosa pela irresponsabilidade e descaso com a defesa da vida do nosso povo, atacando a ciência e sabotando a vacinação, usando o momento de dor e perda por que passamos como uma oportunidade para ações corruptas, reveladas pela CPI da pandemia.

Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e busca, inequivocamente, as condições para a imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas.

Não é a primeira vez que o Brasil enfrenta essa ameaça. Já assistimos a esse filme e sabemos o caminho para derrotar o arbítrio. É hora de unir os brasileiros, independente de colorações partidárias e ideológicas, na defesa intransigente da democracia. É preciso, ainda, apoiar as demandas sociais pelo auxílio emergencial de $600, vacina para todos já, contra a carestia e política ativa de geração de empregos de qualidade.

Por isso convidamos a todos para vir à Avenida Paulista, no dia 24 de julho. Estaremos com as nossas bandeiras do Brasil, em frente ao Conjunto Nacional, a partir das 15 horas.

Assinam o texto:

ACREDITO,

AGORA,

Central de Sindicatos Brasileiros (CSB),

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB),

Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB),

Confederação das Mulheres do Brasil (CMB),

Derrubando Muros,

Federação das Mulheres Paulistas - FMP,

Federação dos Bancários de São Paulo,

Força Sindical,

Juventude Pátria Livre (JPL),

Juventude Socialista do PDT de São Paulo (JS),

Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST),

Pública Central do Servidor,

União Geral dos Trabalhadores (UGT),

União da Juventude Socialista (UJS),

União Municipal de Estudantes Secundaristas (UMES),

União Nacional dos Estudantes (UNE),

CIDADANIA,

PV,

PCdoB,

PDT,

PSB,

PSDB,

REDE SUSTENTABILIDADE,

SOLIDARIEDADE."

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo