|
  • Bitcoin 137.780
  • Dólar 4,7311
  • Euro 5,0812
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 21/03/2022, 20:24

Bolsonaro sinaliza chapa com Braga Netto ao falar em vice de MG e sem ambições (1)

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 21 de março de 2022

RICARDO DELLA COLETTA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em mais uma indicação de que pretende escolher o ministro Walter Braga Netto (Defesa) para ser seu colega de chapa nas eleições de outubro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta segunda-feira (21) que seu vice deve ser uma pessoa nascida em Minas Gerais e que ele não deve ter ambições de assumir a cadeira presidencial ao longo de um eventual segundo mandato.

Braga Netto é nascido em Belo Horizonte (MG).

"Isso tudo tem que ser levado em conta. Eu tenho que ter um vice que não tenha ambições de assumir a minha cadeira ao longo de um mandato. Por isso posso adiantar que hoje em dia, por coincidência, o vice é de Minas Gerais", disse Bolsonaro, durante entrevista à TV Jovem Pan.

"[O ex-ministro Ricardo Salles] conheceu por dentro o poder, os interesses, as pressões; o que alguns dos outros Poderes querem fazer a todo o custo para te tirar daquela cadeira. Essa cadeira minha mexe com centenas de bilhões de reais todo ano", disse ainda Bolsonaro, na mesma entrevista.

Salles, ex-ministro do Meio Ambiente, era um dos entrevistadores.

O presidente disse não querer adiantar o nome, mas afirmou que o objetivo é ter um vice que o ajude a governar o país, mais do ganhar competitividade eleitoral.

"Devemos ter um vice que demonstre à população que não é para ajudar a ganhar a eleição, é para ajudar a governar o Brasil", declarou. "Ganhar eleição é bem mais fácil —ou menos difícil— do que governar."

Salles disse esperar que o vice escolhido seja Braga Netto.

"Dou o meu palpite aqui, meu desejo: que o nosso colega Braga Netto, um grande general, um homem leal ao senhor, competente, sério, e acima de tudo muito discreto e eficiente; espero que seja ele o mineiro que o senhor está se referindo", afirmou o ex-ministro.

Bolsonaro, por sua vez, também disse que seu grupo político está na reta final das negociações com os partidos que devem apoiá-lo na reeleição. Segundo o presidente, há pendências em relação a filiações de aliados, como o ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), pré-candidato ao governo de São Paulo.

"Estamos na reta final com partidos. Muito partido quer fechar comigo, por exemplo, desde que o Tarcísio em São Paulo vá para o partido dele", disse Bolsonaro.

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, a menos de duas semanas do prazo para deixar o ministério, Braga Netto ainda não definiu a legenda para a qual migrará.

Inicialmente, havia uma expectativa de que o vice fosse de outro partido da base aliada, o PP, para poder criar uma base sólida de sustentação à campanha. Bolsonaro, contudo, não tem demonstrado estar muito preocupado com essa costura.

No PP, dirigentes também dizem que a prioridade era tentar filiar o presidente. A vice, afirmam, é mais projeto pessoal do que partidário.

Hoje pessoas próximas a Bolsonaro consideram que o cenário mais provável é que Braga Netto vá para o PL de Valdemar Costa Neto. Ele não teve ainda nenhuma conversa com o partido sobre filiação.

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, se filiou ao Republicanos na quarta-feira (16) para disputar o Senado pelo Rio Grande do Sul. Apesar de não fazer mais parte da chapa presidencial, ele prometeu lealdade e apoio irrestrito ao projeto de reeleição de Bolsonaro.