|
  • Bitcoin 101.886
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5578
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 21/01/2022, 13:15

Bolsa busca novo fôlego com altas no varejo e bancos

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

CLAYTON CASTELANI
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Bolsa de Valores brasileira rumava para o alto no início da tarde desta sexta-feira (21). Às 12h45, o Ibovespa, referência para o mercado acionário do país, subia 0,15%. O dólar oscilava perto da estabilidade, a R$ 5,4103%.

Em meio às seguidas baixas em Wall Street, há uma forte entrada de capital estrangeiro no Brasil. O movimento indica que investidores internacionais estão em busca de oportunidades em mercados emergentes, sobretudo em ações que estavam abaixo do seu valor real, segundo Vitor Carettoni, diretor da mesa de renda variável da Lifetime Investimentos.

Carettoni destacou o investimento de R$ de 5,9 bilhões da GQG Partners em ações do Itaú, conforme comunicado ao mercado feito pelo banco brasileiro nesta quinta (20).

Entre as empresas com maior peso no Ibovespa, o Itaú subia 0,39%. A maior contribuição positiva para o índice, porém, vinha do Magazine Luiza, que avançava 4,81%.

Possíveis vendas de papéis que tiveram forte crescimento nas últimas sessões e a pressão negativa do exterior, porém, podem levar o Ibovespa a fechar o pregão em queda nesta sexta, alerta Braulio Langer, analista da Toro. "Há uma expectativa de realização de lucros", comentou.

Altas nos contratos do minério de ferro, porém, podem voltar a impulsionar a alta do mercado doméstico. Com grande peso no Ibovespa, o desempenho da Vale pode ser o fiel da balança.

Os contratos de minério de ferro fino exportados do Brasil para a China subiram 1,29%. A Vale, porém, cedia 0,99% nesta manhã.

Ainda no setor de commodities, houve uma pausa nas altas do petróleo, apesar das expectativas de que a escassez continuará elevando os preços. O barril do Brent recuava 0,91%, a US$ 87,58 (R$ 474,33).

No cenário doméstico, investidores acompanham a movimentação em torno do Orçamento de 2022, que deve ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, destacou a Nova Futura, em nota.

Discussões sobre a inclusão de reajustes devidos a servidores federais estão entre as preocupações do mercado sobre o equilíbrio fiscal do país.

As principais bolsas da Ásia fecharam em queda. Os mercados europeus também operam em baixa. Segundo analistas, os índices globais estão reagindo à baixa da véspera em Nova York.

Na abertura da sessão desta sexta, o Dow Jones operava estável, enquanto os índices S&P 500 e Nasdaq cediam 0,26 e 0,59%, respectivamente.