|
  • Bitcoin 122.708
  • Dólar 5,1137
  • Euro 5,2111
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 05/03/2022, 17:31

Áudios de Arthur do Val são repudiados por diplomata e comunidade ucraniana

PUBLICAÇÃO
sábado, 05 de março de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Diversos representantes da comunidade ucraniana no Brasil se manifestaram repudiando os áudios sexistas do deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP).

O encarregado de negócios da Embaixada da Ucrânia no Brasil, Anatoliy Tkach, qualificou na tarde deste sábado (5) de inaceitáveis as falas do parlamentar sobre as mulheres ucranianas.

"Os comentários são inaceitáveis, dessa natureza são inaceitáveis", afirmou, antes de acrescentar que "quem tem que dar a qualificação [sobre os comentários] é a sociedade brasileira".

Tkach disse entender que os comentários não são uma declaração oficial do Brasil. "Eu entendo que foi feita numa conversa do parlamentar."

A Representação Central Ucraniana-Brasileira pediu ao presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Carlão Pignatari (PSDB), a cassação do mandato de Arthur do Val.

A entidade reúne organizações civis e religiosas que representam 600 mil brasileiros descendentes de ucranianos.

"O deputado Arthur do Val revelou-se uma pessoa de índole perigosa para o exercício de funções públicas onde sempre há que se tratar com mulheres em situação de vulnerabilidade", diz a entidade no documento.

A representação ucraniana também quer que Pignatari solicite às autoridades policiais internacionais uma investigação sobre o possível aproveitamento sexual de mulheres vulneráveis atingidas pela guerra.

A ex-embaixatriz da Ucrânia no Brasil, Fabiana Tronenko, divulgou um vídeo de repúdio aos áudios de Arthur do Val.

"Ele é um ridículo, um cretino. Eu peço que você tenha mais respeito com as mulheres ucranianas, porque elas não são fáceis porque são pobres. Elas são mulheres, são decentes, são pessoas honradas", diz.

Tronenko pediu respeito ao sofrimento da população ucraniana com a guerra, que já dura mais de uma semana desde o ataque russo.

A ex-embaixatriz também publicou uma mensagem nas redes sociais pedindo a cassação do mandato do deputado "por crime contra à honra das mulheres ucranianas".

A Sociedade Ucraniana do Brasil afirmou que os áudios ofendem "não só as mulheres que foram citadas, mas a todas. Atinge também nossa origem e história".

A entidade diz ainda que "aproveitar-se de fragilidades de qualquer nível em um estado de guerra é, além de condenável, desumano".

Arthur do Val anunciou neste sábado a retirada de sua pré-candidatura ao Governo de São Paulo.

Segundo o parlamentar, os áudios que enviou foram um "erro num momento de empolgação", mas ele buscou desvincular suas falas do motivo da viagem feita à Ucrânia.

Os áudios de teor sexista dizem que as ucranianas são "fáceis" de pegar por serem pobres --e que a fila de refugiados da guerra tem mais mulheres bonitas do que a "melhor balada do Brasil".

O deputado divulgou em rede social um pedido de desculpas ao dizer que o conteúdo das falas não foi correto com as mulheres brasileiras, ucranianas e com "todas as pessoas que depositaram confiança no meu trabalho".

Arthur do Val disse ainda ter o desejo que as pessoas o julguem "pelo que eu fiz e não pelo que eu não fiz". "Foi errado o que eu falei. Não é isso o que eu penso. O que eu falei foi um erro num momento de empolgação", afirmou ao chegar no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Ele anunciou a retirada da candidatura em São Paulo com a justificativa de não atrapalhar a terceira via, uma referência a Sergio Moro (Podemos), de quem é apoiador.