Apple adia retorno dos funcionários ao escritório, diz agência


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Apple adiou a volta dos funcionários ao trabalho presencial em pelo menos um mês, segundo a agência de notícias Bloomberg. A reavaliação ocorre após incertezas relacionadas a variante delta do coronavírus terem derrubado bolsas ao redor do mundo nesta segunda-feira (19).

As informações foram passadas por empregados da empresa em condição de anonimato, afirma a agência.

Em junho, o presidente-executivo da companhia, Tim Cook, disse em comunicados internos que a volta seria em setembro, por pelo menos três vezes na semana. No comunicado ele citava a oferta de vacinas e a queda no número de contágios.

No mesmo mês, a Apple também desobrigou o uso de máscaras internamente, o que teria sido revogado nesta semana. Funcionários de lojas físicas estão sendo orientados a usar o acessório de proteção, estejam eles vacinados ou não.

Em maio, autoridades de saúde americanas anunciaram que em quase todas as circunstâncias o uso de máscaras e o respeito ao distanciamento social não eram mais necessários para as pessoas que tivessem sido completamente vacinadas contra a Covid-19.

A variante delta, mais contagiosa e identificada inicialmente na Índia em dezembro passado, avança com velocidade. No sábado (17), o estado de Nova York (EUA) registrou mais de 1 mil casos de Covid-19 em um dia pela primeira vez desde meados de maio, enquanto as autoridades de países como Austrália e Vietnã lutavam contra o aumento das infecções.

A preocupação com novos lockdowns e com a inflação nos EUA e na Europa derrubou as bolsas dos Estados Unidos nesta segunda (19). Em Wall Street, os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq encerraram a sessão em quedas de 2,09%, 1,59% e 1,06%, respectivamente. Já nesta terça houve um movimento de recuperação com correção dos preços por investidores.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo