|
  • Bitcoin 104.165
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Últimas Notícias

m de leitura Atualizado em 12/03/2022, 19:55

Após leve repique da Covid, França anuncia 4ª dose para maiores de 80 anos

PUBLICAÇÃO
sábado, 12 de março de 2022

CLÁUDIA COLLUCCI
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHARPESS) - Um leve repique da pandemia de Covid-19 levou o governo francês a anunciar neste sábado (12) que vai aplicar a quarta dose da vacina "aos maiores de 80 anos que receberam o reforço há mais de três meses". A dose adicional começará a ser dada na segunda (14).

Em entrevista ao jornal Le Parisien, o primeiro-ministro francês, Jean Castex, disse que a mutação BA.2 da ômicron pode estar por trás do "repique da epidemia".

"É mais transmissível que a ômicron inicial, mas não parece mais perigosa", disse ele, atribuindo a sua percepção ao fato de que as taxas de internações hospitalares continuam diminuindo.

No mês passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também informou que variante BA.2 da cepa ômicron do coronavírus não é mais severa do que a original.

Segundo Castex, a recomendação da quarta dose para os maiores de 80 anos ocorre porque essas pessoas receberam a dose de reforço há mais de três meses, e enfrentam uma perda progressiva da imunidade.

No Brasil, pesquisadores têm alertado que já que se aproxima o marco de seis meses em que as primeiras doses de reforço foram dadas a idosos e que é preciso discutir a questão da quarta dose.

Na entrevista, o primeiro-ministro francês também recomendou aqueles que "são frágeis, devido à idade ou patologias, que continuem usando máscaras em locais fechados e em grandes reuniões".

Castex descartou, no entanto, uma "mudança de estratégia" nas medidas de flexibilização. Na segunda (14), a França vai deixar de exigir o passaporte da vacinação nos espaços públicos como cinemas ou restaurantes.

No entanto, ainda será necessário um passe semelhante para ir a um hospital ou a um lar de idosos. A intenção é continuar protegendo os mais vulneráveis.

Máscaras faciais continuarão sendo serão exigidas no transporte público, porém, não mais nas escolas e no trabalho.

A França já registrou mais de 23 milhões de casos de Covid-19, dos quais mais de 140 mil resultaram em mortes.