Quando ocorre um nascimento na família logo vem a preocupação em manter o calendário de vacinação do bebê. O que muitos não sabem é que, com o passar do tempo, os adultos também precisar se imunizar contra doenças por conta do envelhecimento natural do sistema imunológico, além da necessidade de novas prevenções ao longo dos anos. Uma pesquisa realizada pelo instituto de pesquisa GFK Custom Research Brasil, encomendada pela Pfizer, com 1.710 pessoas acima de 50 anos em 11 regiões do País, revela que somente 32% se preocupam em manter a imunização em dia. Especialistas afirmam que é extremamente importante que a vacinação continue a partir da infância atingindo adolescentes, adultos e idosos.
De acordo com o médico pediatra e presidente da Associação Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri, o sistema imunológico dos adultos é diferente do das crianças e, por isso, pode ser suscetível a váris doenças como sarampo, meningite, rubéola e coqueluche.
''Quando adultos contraem algumas dessas enfermidades, os sintomas podem ser muito mais intensos e as sequelas costumam ser graves. Em alguns casos mais sérios, há risco de surgir inflamação cerebral, esterilidade, lesões neurológicas e pulmonares'', alerta.
A pesquisa mostrou que o brasileiro desconhece a importância da vacinação na idade adulta e a gravidade da pneumonia. Com hábito saudável, a vacinação fica atrás dos cuidados com a alimentação e das consultas regulares aos médicos. A pesquisa, que foi denominada ''Prevenção na Maturidade'', revela também que os brasileiros creem que a imunização é muito mais importante nos primeiros anos de vida do que na velhice. A pesquisa expõe ainda que aproximadamente 1/3 dos brasileiros (30% dos entrevistados) nunca ouviu falar sobre vacinação para adultos.
''O sistema imune vai passando por uma deterioração com o tempo e, obviamente, esses indivíduos ficam mais suscetíveis a doenças. Quanto mais tarde for aplicada uma vacina, pode haver uma menor resposta vacinal, mais riscos de infecções, doenças crônicas, etc'', diz.
Prevenção
O médico infectologista da Sociedade Brasileira de Infectologia, Marcos Cyrillo, explica que a imunização é a melhor forma de prevenção contra uma série de doenças principalmente porque as vacinas são capazes de impedir o ataque de vírus e bactérias que podem causar diversas infecções, como pneumonia. ''Esta pode ser ainda mais letal na maturidade'', alerta.
Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que a pneumonia é a maior causa de morte por doenças imunopreveníveis. Ainda de acordo com o médico, quando o assunto envolve infecção pulmonar causada principalmente por vírus ou bactérias, a pneumonia está entre as três principais causas de morte em todas as idades do mundo, atrás apenas de doenças cardíacas e cerebrovasculares.
''A vacinação ajuda a manter a qualidade de vida do indivíduo e também contribui para uma boa manutenção dos gastos públicos, já que reduz o número de internações de pessoas que contraem doenças que poderiam ser evitadas por meio da imunização''.
* A jornalista viajou a São Paulo a convite da Pfizer

Imagem ilustrativa da imagem Adultos também precisam ser vacinados