Você resolveu começar a praticar atividade física e percebeu que não consegue perder peso nem manter um condicionamento físico adequado? Pode ser que o tipo do exercício que você está praticando não seja o mais adequado para você. Cada pessoa tem um biotipo e é justamente com o objetivo de compreender quais os limites de cada indivíduo que a biotipologia estuda as características humanas. Especialistas afirmam que quem conhece melhor seu corpo e entende seu funcionamento poderá atingir seus objetivos mais rapidamente, com qualidade, equilíbrio e saúde.
De acordo com o médico do esporte e ortopedista Aureo Cinagawa, cada pessoa tem determinadas características fisiológicas e morfológicas e, por isso, devem se atentar ao selecionar exercícios até mesmo para evitar lesões. Dependendo do predomínio de tecido adiposo, de músculos ou de ossos, a biotipologia classifica o ser humano em três tipos básicos: mesomorfo, ectomorfo e endomorfo.
''Somos, na verdade, uma mistura desses três tipos físicos, mas sempre existe a predominância de um deles em particular. A biotipologia é uma área pouco conhecida pelas pessoas e isso influencia no cotidiano de todos nós. Assim como os animais têm raças diferentes, existem diferentes tipos de corpo humano. Tentar trazer um padrão único é impossível'', ressalta.
Segundo o médico, além do biotipo, é importante as pessoas considerarem diversos outros fatores antes de ingressar num ritmo de atividade física, como por exemplo a idade e o sexo. Ele explica, por exemplo, que a mulher tem muito mais gordura do que o homem por causa do aspecto hormonal. ''Uma pessoa saudável é aquela que consegue manter um corpo equilibrado sem ultrapassar limites na hora de treinar. Todos esses fatores devem ser avaliados por um bom educador físico. As academias foram distorcendo valores de tal maneira que não se aplica isso mais. A prescrição da atividade física tem que considerar esses aspectos e avaliar quais as aptidões que a pessoa tem, o que gosta, força, potência, etc'', diz Cinagawa.
Características específicas
De acordo com a biotipologia, o mesomorfo é aquele indivíduo em que a massa muscular predomina sobre o tecido e os ossos. Essas pessoas têm mais facilidade para treinamentos aeróbicos e com pesos, além de terem a proteína como base importante para sua nutrição. Já o ectomorfo tem mais dificuldade em ganhar peso e conta com braços e pernas grandes, além de pequena porcentagem de gordura corporal e poucos músculos. O terceiro tipo, o endomorfo, é aquele indivíduo que tende a aumentar de peso e possui maior quantidade de gordura sobre os músculos e ossos.
''Somos um mix disso tudo. Se a pessoa carrega muita gordura ela tem que ter uma boa estrutura músculo-esquelética para a prática de exercícios. Isso explica porque muitos saem caminhando por aí e estragam suas articulações. Não é só ir para a academia porque todo mundo tem ido. É aquela velha história, uma pessoa saudável vai adquirir saúde desde que também saiba aceitar o seu corpo do jeito que ele é e conhecer o máximo do seu potencial'', reforça o médico.
Cinagawa lembra ainda que duas pessoas diferentes recebendo o mesmo treinamento respondem de maneiras diferentes. ''O corpo é o instrumento da mente para realizar produtos e serviços, em atividades gerais, trabalho, lazer, esporte, etc. Não adianta a pessoa querer modificar seu corpo se não souber como são suas características. A pessoa pode desenvolver sobrecargas, lesões. O mais importante é que o indivíduo se aceite como é, faça uma atividade física visando a sua saúde e não a modificação corporal, além de buscar a ajuda de um bom pedagogo de educação física na hora de treinar'', finaliza.

Imagem ilustrativa da imagem A atividade certa para cada tipo físico