Votação do projeto de armas é adiada
O Senado deu ontem um sinal claro de que não aceitará a proibição total de venda de armas no Brasil e irá alterar qualquer proposta do governo neste sentido. Ontem, o líder do governo na Casa, senador José Roberto Arruda (PSDB-DF), não conseguiu aprovar, durante a sessão conjunta das comissões de Constituição e Justiça e de Relações Exteriores, projeto de sua autoria que proíbe a venda de armamentos. O parlamentar já admite aceitar modificações, abrindo exceções à regra que proíbe a comercialização. A proposta de Arruda teve a votação adiada para a próxima semana. O Senado vai fazer uma audiência pública sobre o assunto.