A coligação PDT/PPB, do candidato Homero Barbosa Neto, iniciou ontem os ataques que devem marcar as duas últimas semanas do segundo turno na corrida à Prefeitura de Londrina. Assad Jannani, coordenador da campanha e vice de Barbosa Neto, acusou o Partido dos Trabalhadores (PT) de envolvimento em episódios obscuros na administração municipal, além de estar ligado ao prefeito cassado e afastado, Antonio Belinati (PFL). ‘‘Nós recebemos diversas denúncias de que Belinati está contratando cabos eleitorais para Micheleti’’, acusou. O presidente do diretório local do PT, Jacks Dias, rebateu as acusações. ‘‘É preciso entender que essas colocações são mentirosas, eles estão entrando em desespero. O Barbosa não deveria baixar o nível’’, retrucou.
Durante a administração do ex-petista Luiz Eduardo Cheida, Jannani foi vice-prefeito e superintendente da Sercomtel. Na administração do prefeito cassado e afastado, Assad presidiu a Companhia de Habitação de Londrina (Cohab). Na administração anterior de Belinati (89-92), Assad foi secretário de Serviços Públicos. Dizendo que não foi subserviente no período em que esteve na administração, Jananni alegou que, no segundo turno da campanha de 92, o apoio de Belinati foi decisivo para o PT ganhar a eleição. Em 96, segundo Jananni, foi o PT quem deu apoio a Belinati.
‘‘No escândalo AMA/Comurb até um alto dirigente do PT apareceu na lista do Carlos Júnior (Cassimiro Zavierucha, apontado como o caixa de campanha de Belinati). O PT de Londrina é um PT belinatista de longa data’’, acusou. Assad Jannani afirma que, na ‘‘panelinha do Bem’’ do PT, estão FHC, Belinati, Farage Kouri (PFL) e Luiz Carlos Hauly (PSDB). ‘‘O PT não é renovação de forma nenhuma. Vamos deixar o povo julgar se são apenas coincidências’’, cutucou. A ‘panelinha’ mencionada pelo vice está sendo usada no horário eleitoral gratuito da coligação que apóia Barbosa.
Segundo Jacks Dias, o PT, que lidera as pesquisas em Londrina, foi o primeiro partido a incentivar a criação do Movimento Pela Moralização na Administração Pública e pedir a punição de todos os culpados. ‘‘É o mesmo que água e óleo. O PT nunca se misturou ao Belinati’’, garantiu. Dias entende que baixar o nível da campanha não interessa ao eleitor e à sociedade. ‘‘O Assad participou do governo Belinati mas não queremos levantar esse assunto. Queremos debater propostas. O londrinense quer respostas para suas necessidades mais imediatas’’, comentou.
Para o presidente do PT, o apoio de Belinati nas eleições de 92 não significa que o partido tenha uma ligação histórica com o prefeito cassado. ‘‘Ele (Assad) está caindo em baixarias de campanha, o partido nunca teve envolvimento de forma umbilical com Belinati’’. Em relação ao apoio de Cheida, Kouri e Hauly neste segundo turno, Jacks Dias afirma que os candidatos derrotados manifestaram seu apoio a Nedson na condição de eleitores. ‘‘Não existe esquemão de alianças como no passado. Eles (candidatos) entendem que o Nedson é o melhor para Londrina’’.
Na entrevista à Folha, o vice de Barbosa Neto alegou que a coligação PDT/PPB não tem apoio do deputado federal José Janene, apontado como a grande liderança do PPB na região. Apesar de ser irmão do deputado, Jannani garante que não há vínculo eleitoral. ‘‘O Zé Janene não vai participar da campanha porque não queremos e não precisamos. O Zé não banca a campanha de ninguém a não ser a dele própria. Ele só abre exceção a Belinati’’, criticou.