Viagra quase cassou o prefeito de Bocaiúva do Sul Leandro Donatti De Curitiba A idéia esdrúxula do prefeito de Bocaiúva do Sul (Região Metropolitana de Curitiba) Élcio Berti (PTB), de distribuir Viagra de graça para aumentar a população e consequentemente a cota do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), por pouco não lhe rendeu a cassação. Pressionados pela população e sentindo-se com a virilidade ofendida, os vereadores instauraram em julho de 1998 uma Comissão Processante contra o prefeito. O procedimento não deu em nada. Berti continua no cargo e disputa a reeleição em outubro próximo. O caso só foi chegar à Câmara de Vereadores porque o prefeito provocou. A idéia do Viagra gratuito foi apenas mais uma das péssimas jogadas de marketing do prefeito que faz de tudo para chamar a atenção. Meses antes, Berti baixou decreto municipal proibindo o uso da camisinha. O prefeito já batia na tecla de que a população da pequena Bocaiúva do Sul precisava aumentar. Berti tinha informações de que, em 2000, o número de habitantes cairia de 7.486 para 6.883. A proibição da camisinha em tempos de Aids pegou muito mal e o prefeito teve de recuar. O último delírio do polêmico Élcio Berti foi no ano passado. O prefeito chamou a comunidade e a imprensa para defender a implosão de uma ponte que liga Bocaiúva à Região do Vale da Ribeira. Berti acusou os governos estadual e federal de abandonarem a região e de se omitirem.