Tavares quer o
fim da crise da
polícia do PR
O novo secretário de Segurança Pública, José Tavares, aposta no fim da crise envolvendo a Polícia Civil do Paraná. Tavares substitui Cândido Martins, que pode ocupar uma das diretorias do Banco Regional de Desenvolvimento Econômico (BRDE). O secretário Tavares admite que assume a Secretaria em meio à mais grave crise da história, mas tem expectativa de superá-la rapidamente.
‘‘Todas as denúncias serão apuradas dentro da Lei e sei que poderei contar com os homens bons da polícia para corrigir falhas, punir culpados e redefinir metas’’, resumiu. Ele afirmou que a prioridade é a reestruturação geral da Polícia e o cumprimento das metas anunciadas pelo governador Jaime Lerner (PFL) na terça-feira.
A crise na Polícia Civil começou depois que a CPI do Narcotráfico esteve no Paraná. Vários policiais foram acusados de participação no crime organizado e os parlamentares concluíram que haveria conivência da Secretaria de Segurança. As acusações tornaram insustentável a manutenção de Cândido Martins no cargo. ‘‘Estou saindo porque fui acusado das coisas mais absurdas e tenho dignidade’’, defendeu-se Cândido Martins, depois da transmissão do cargo.
‘‘Nunca estive tão tranquilo em assumir uma nova missão pública, o que mostra que o governador Lerner colocou a pessoa certa no lugar certo’’, declarou José Tavares. Ele não quis adiantar mais detalhes sobre a reestruturação da Polícia Civil, mas confirmou que anunciará oficialmente o nome do novo delegado-geral amanhã. (E.C.)