O resultado das eleições municipais também culminou com o descontentamento de alguns dos principais deputados estaduais. O líder do governo na Assembléia Legislativa, Valdir Rossoni, por exemplo, criticou duramente a direção estadual de seu partido, o PTB. Para o parlamentar, chegou o momento de os 12 deputados do PTB ‘‘tomarem as rédeas’’ do partido. O PTB elegeu 54 prefeitos nas eleições de 1996 e, no domingo, venceu em 38 municípios.
‘‘Na Assembléia, nossa bancada tem 40% dos votos de todos os deputados. Se não nos reciclarmos, corremos o risco de ficarmos ainda menores’’, reclamou Rossoni. Ele entende que cúpula do PTB no Estado também pouco contribuiu para que, junto com o PFL, o partido tenha conseguido fazer 123 prefeitos.
Na eleição de 1996 os dois principais partidos de sustentação ao governador Jaime Lerner (PFL) elegeram 91 prefeitos. Naquela eleição, Lerner ainda estava no PDT e apoiou 359 candidatos a prefeito, com a estimativa de eleger 250. O governador conseguiu eleger 211 prefeitos, dos quais 111 pertenciam a seu ex-partido.
Apesar do PPB ter quatro deputados na bancada de sustentação ao governador, o deputado federal e presidente estadual do partido, José Janene, acredita que houve falta de sensibilidade política de Lerner nessas eleições. ‘‘Andei 44 mil quilômetros durante a campanha e nunca cruzei com qualquer secretário de Estado. O governador vai ter seríssimas dificuldades na Assembléia a partir de agora’’, aposta o presidente estadual do PPB.
Janene garantiu que o crescimento da oposição não foi surpresa. ‘‘Há quinze dias falei para o Alvaro (senador Alvaro Dias, presidente estadual do PSDB) que o partido dele corria o risco de não ir para o segundo turno em Londrina’’, contou. Na sua opinião, o PPB saiu ‘‘bastante fortalecido’’ com a eleição de 28 prefeitos no último domingo. Apesar de ter eleito 35 prefeitos em 1996, o deputado justifica a euforia pelo fato de que 16 prefeitos eleitos há quatro anos se mantiveram com o PPB até esta eleição.
Mesmo sendo o partido que mais prefeitos elegeu no último domingo, 96 – 24% a mais do que há quatro anos, quando conquistou 73 prefeituras – o PSDB pode rachar definitivamente. Hoje, os seis deputados estaduais e alguns dos vereadores tucanos se reúnem em Curitiba para definir qual comportamento adotar no segundo turno em Curitiba, Londrina e Maringá. Na segunda-feira, Alvaro Dias confirmou o apoio ao PT na capital e em Londrina.
O problema é que, dos seis deputados estaduais, apenas um faz parte da bancada de oposição a Jaime Lerner. Na avaliação do senador Osmar Dias essa diferença de posicionamento entre a direção estadual e os parlamentares prejudicou o desempenho do PSDB na eleição municipal. ‘‘Eu sempre fui oposição e deixei sempre clara minha posição contrária à atual política que vem sendo desenvolvida no Paraná. Acho que o partido deveria ter feito isso antes, principalmente na Assembléia Legislativa.’’ (R.B.N.)