Sindicato dos Policiais pede saída de Candinho O presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Paraná (Sinclapol), Luiz Bordenowski, pediu ontem a exoneração do secretário Cândido Martins de Oliveira. Ele acusou Candinho de ‘‘participação no esquema do narcotráfico’’ no Paraná. ‘‘Participação ativa ou passiva. Mas ele sabia das denúncias contra o Noronha’’, apontou Bordenowski. O sindicalista voltou a bater na tecla de que o secretário ‘‘devia favores’’ ao ex-diretor-geral Ricardo Noronha. ‘‘Basta lembrar que o Noronha foi o responsável pelo inquérito que apurou as responsabilidades pelo suposto atentado contra o secretário’’, apontou. Noronha também teria abafado na imprensa o caso envolvendo a filha do secretário, que teria atropelado um homem que acabou morrendo em consequência do acidente. ‘‘O caso até foi divulgado, mas ela estava drogada e foi indiciada por homicídio culposo.’’ Segundo o sindicalista, o secretário teria ciência do envolvimento de Noronha com o crime organizado. ‘‘O Noronha está sendo processado por contrabando em Foz do Iguaçu. E este não é o único processo que ele responde’’, acusou. Bordenowski disse que já sabia do envolvimento de policiais e delegados no narcotráfico, mas que não fez nada com medo de morrer. O secretário negou ontem que tivesse conhecimento de processo ou acusação contra Noronha. ‘‘Nunca soube. Vou buscar ter ciência sobre este processo’’, reagiu. O secretário também negou que tenha indicado Noronha por dever favores a ele. ‘‘Eu tenho repulsa a este tipo de maldade. Nunca houve qualquer benefício em nenhum dos lados’’, respondeu, revoltado. (L.P.)