Secretário evita comentar
envolvimento de policiais
O secretário de Segurança, Cândido Martins Oliveira, preferiu não tecer comentários sobre as denúncias de envolvimento de policiais no narcotráfico. ‘‘Por uma questão de ética e em respeito à CPI não quero me manifestar antes da comissão tirar uma conclusão sobre o assunto’’, ponderou.
Cândido Martins acha que as investigações da CPI podem dar ‘‘contribuições importantes’’ na busca de solução para o problema das drogas. O secretário reafirmou que o governo está à disposição para dar suporte ao trabalho dos deputados, quando a CPI desembarcar em Curitiba.
O secretário disse que pretende dar o mesmo tratamento que vem sendo dispensado ao delegado Adauto de Oliveira. Cândido Martins afirmou que ele e o delegado-geral Ricardo Noronha estão discutindo a criação da Divisão de Narcotráfico, que poderá centralizar informações (leia abaixo). ‘‘Não quero fazer coisa de fachada. Estamos estudando bem a idéia para que não morra na casca’’, observou.
O secretário admitiu que existe um número insuficiente de investigadores, escrivães e delegados, mas reclamou da falta de mais recursos federais para investimentos no setor. ‘‘Nós queremos que o Adauto vá atrás dos culpados e enquadre os infratores. Tem o nosso integral apoio para isso’’, reforçou Cândido Martins.(L.D)