|
  • Bitcoin 118.755
  • Dólar 5,2124
  • Euro 5,3365
Londrina

Política

Atualizado em 17/01/2020, 10:07

Salário mínimo regional vai a R$ 1.383,80

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O governo estadual informou nessa segunda-feira (13) que o reajuste do salário mínimo regional do Estado será de 5,86% este ano - 1,75 ponto percentual acima do reajuste nacional. O reajuste eleva o piso para R$ 1.383,80 na categoria 1 (o maior do país), podendo chegar a R$ 1.599,40 de acordo com a categoria. O percentual maior que o índice nacional foi aprovado nesta segunda-feira (13), em votação no Conselho Estadual do Trabalho. O órgão tem caráter tripartite, formado por representantes do poder público, empregados e empregadores.

Secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost. Secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.
Secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost. |  Foto: José Fernando Ogura/AEN
 

Na categoria dos trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca, o piso sobe para R$ 1.383,80. Para o segundo grupo, no setor de serviços administrativos, serviços gerais, de reparação e manutenção e vendedores do comércio em lojas e mercados, o salário aumenta para R$ 1.436,60. Esta categoria engloba também a classe de trabalhadores domésticos.

Já no terceiro grupo, dos empregados na produção de bens e serviços industriais, o piso vai para R$ 1.487,20. Para o último grupo, na categoria de técnicos de nível médio, o piso passa a ser R$ 1.599,40.

“O reajuste do piso é o compromisso do nosso governo em valorizar os trabalhadores. Mantivemos o percentual maior para aumentar o poder aquisitivo dos trabalhadores abrangidos por essa lei. Isso vai se refletir no movimento do comércio e nos serviços”, afirmou o governador Ratinho Junior (PSD), que assinará decreto para oficializar o reajuste.

“O mínimo regional, que já entra na folha de janeiro, é uma referência para a negociação das categorias sindicalizadas e uma garantia para as categorias que não têm sindicato”, lembra o secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost. As informações são da Agência Estadual de Notícias.