Representações contra Mara Boca Aberta são arquivadas na Câmara de Londrina

Vereadora retirou de forma definitiva projeto apresentado para tentar reverter cassação de mandato do marido

Guilherme Marconi - Grupo Folha
Guilherme Marconi - Grupo Folha

A Mesa Executiva da Câmara Municipal de Londrina decidiu pelo arquivamento de duas representações de suposta quebra de decoro parlamentar contra a vereadora Marly de Fátima Ribeiro, a Mara Boca Aberta (Pros). Isso ocorreu porque o pedido para investigação e cassação do mandado da parlamentar perdeu o objeto, após a vereadora retirar de forma definitiva o projeto apresentado por ela para tentar anular a cassação do então vereador e agora deputado federal Boca Aberta (Pros), marido da vereadora. 


 

.
. | Devanir Parra/CML
 


O presidente da Câmara, vereador Jairo Tamura (PL), informou que a Mesa Executiva acatou o parecer da Procuradoria Jurídica da Casa. Ele explicou que as duas representações tinham o mesmo teor. "O projeto não prosperou. Nem sequer foi analisado pela Comissão de Justiça e a autora retirou de forma definitiva. Ou seja, não tinha mais o objeto da representação, por isso foi sugerido o arquivamento." 


As representações foram formalizadas pelo jornalista londrinense José Pedrialli no dia 1º de março alegando supostas violações da vereadora ao Regimento Interno da Câmara, à Lei Orgânica do Município e à Constituição Federal. Segundo o autor, ao apresentar o projeto para tentar anular a cassação do marido, a vereadora poderia ferir princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. 


ENTENDA 

Mara Boca Aberta protocolou em 22 de fevereiro o projeto de decreto legislativo que tenta anular a cassação do mandato de Boca Aberta, ocorrida em outubro de 2017, argumentando que a Câmara não seguiu o rito adequado. À época, o então vereador teve o mandato cassado por quebra de decoro por constranger servidores de uma Unidade de Pronto Atendimento e promover uma vaquinha virtual para pagar multa eleitoral sob argumento falso.  Entretanto, no dia 25 de março, a vereadora pediu a retirada definitiva da tramitação da proposta que poderia beneficiar o marido. 


Segundo Mara Boca Aberta, a retirada do projeto foi definida em conjunto com a Executiva Nacional do Pros. “Vamos melhorar juridicamente para enriquecer o projeto com fatos novos que apareceram para que possamos reverter a cassação do deputado Boca Aberta. Essa injustiça”. Ela disse que a Câmara fez Justiça ao arquivar as representações. “Foram representações sem fundamentos feitas por um grupo elitizado que tem embates com Boca Aberta”, disse ao criticar os autores da representação.



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Assine e navegue sem anúncios [+]

Continue lendo