Ratinho Jr despista sobre eleições 2022, mas confirma aliança com o PP de Barros


Guilherme Marconi - Grupo Folha
Guilherme Marconi - Grupo Folha

O governador Ratinho Junior (PSD) evitou falar do cenário eleitoral para 2022 durante visita à fábrica de processamentos do Grupo Muffato na tarde desta sexta-feira (11) em Cambé (Região Metropolitana de Londrina). Ele foi questionado pela FOLHA durante coletiva de imprensa quatro dias após se reunir no Palácio Iguaçu com o deputado federal Ricardo Barros (PP), líder do governo Bolsonaro (sem partido) na Câmara dos Deputados.



 

Ratinho Jr despista sobre eleições 2022, mas confirma aliança com o PP de Barros
Jonathan Campos/AEN
 


O governador admitiu que há possibilidade de uma aliança entre os dois partidos para as eleições majoritárias ao governo do Estado em 2022. "Na verdade está muito cedo para discutir sobre eleições. O PP participou deste almoço com toda a sua bancada e falamos de vários outros assuntos, inclusive com prefeitos dos municípios, e o prefeito Marcelo Belinati, também do PP, estava lá. Eu considero uma construção natural", disse Ratinho Jr. 


Em 2020, em Londrina, o governador apoiou para a prefeitura de Londrina a candidatura do deputado estadual Tiago Amaral (PSB), que ficou em sexto lugar na disputa, e Belinati levou no primeiro turno. Já o PP trabalha junto com o governador para conquistar um espaço na chapa majoritária, com a indicação de um candidato a vice-governador ou ao Senado. Os nomes de Marcelo Belinati, da deputada estadual Maria Victoria,  filha de Barros e, do ex-prefeito de Maringá Silvio Barros estão entre cotados para a dobradinha.


Sobre a aliança nacional com o presidente Jair Bolsonaro, Ratinho Jr. desconversou. "A aliança nacional precisa ser avaliada, o cenário como é que vai estar, o meu partido (diretório nacional) também vai ter que se posicionar. Eu tenho evitado antecipar qualquer tipo de discussão política porque nós temos agora prioridade única e máxima, o enfrentamento da pandemia, e é isso que nós estamos fazendo em Cambé, estimular a geração de emprego. Se você começa a partir para política, acaba desfocando daquilo que nós precisamos resolver agora.", justificou. 


Aliado de Bolsonaro em 2020, Ratinho Jr poderá enfrentar um embate dentro da legenda. Isso porque o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, está dando sinais de que estará do lado oposto de Ratinho Jr. O ex-prefeito de São Paulo esteve no mês de maio com o ex-presidente Lula selando negociações para 2022, o que poderá exigir palanques  aos petistas também nos estados.  



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo