CASO AMA-COMURB Protesto critica desvios em Londrina Paulo WolfgangLIMPEZA GERALManifestantes varrem Calçadão durante ato público, em Londrina: expectativa de votação de comissão processante Alexandre Sanches De Londrina O Movimento pela Moralização na Administração Pública de Londrina voltou ontem a varrer o Calçadão da cidade. Cerca de 80 membros de entidades organizadas, que formam o movimento, acompanhados de artistas de teatro, fizeram panfletagem e apresentaram pequenas cenas retratando as denúncias de desvios na administração municipal. A manifestação contou com um grupo de palhaços, que representaram personagens, entre eles, o prefeito Antonio Belinati (PFL) e a vice-governadora Emília Belinati (PTB). Munidos de vassouras, os manifestantes, que pretendem todos os sábados fazer uma mobilização, percorreram o Calçadão da cidade. No caminho entregaram panfletos pedindo a punição dos culpados pelo desvio de recursos da prefeitura, que chega a R$ 16 milhões, de acordo com o Ministério Público. Eles cantaram marchas de carnaval criticando pessoas envolvidas no escândalo. Entre os citados estavam o prefeito, a vice-governadora, os deputados federais José Janene (PPB) e Alex Canziani (PFL), o deputado estadual Antônio Carlos Belinati (PSB), além do ex-diretor da Companhia Municipal de Urbanização (Comurb), Eduardo Alonso. Para o coordenador do Centro de Direitos Humanos (CDH), Carlos Roberto Scalassara, a manifestação é uma forma de mobilizar a população para o que está acontecendo na administração municipal. Os fatos dos últimos dias – a quebra de vínculo político do grupo do deputado federal José Janene e a quebra de sigilo do depoimento da ex-diretora de operações da Comurb, Lúcia Brandão – são considerados importantes para que o Tribunal de Justiça derrube a liminar concedida no final de fevereiro a favor do prefeito Belinati contra a abertura da comissão processante. ‘‘Eu acredito que o desembargador Cyro Crema vai voltar atrás na sua decisão ainda esta semana. Caso contrário, na próxima sessão da Câmara do Tribunal de Justiça será analisado o nosso pedido de agravo regimental’’, comentou Scalassara. Ele acredita que, se a decisão for reconsiderada, os vereadores poderão votar a abertura da comissão processante já na sessão de quinta-feira. A banda de música da prefeitura, que se apresentava no calçadão, parou durante o protesto. Antes da saída dos manifestantes em direção ao Coreto, a banda tocou o Hino Nacional, mostrando que o Calçadão de Londrina é um local democrático.