Lino Ramos
De Londrina
O vereador Célio Guergoletto (PMDB) protocolou ontem na Câmara de Londrina um projeto de lei propondo a extinção da Autarquia Municipal do Ambiente (AMA), alegando que o órgão está ocioso. Segundo ele, isso ocorreu porque no ano passado a prefeitura repassou à Companhia Municipal de Urbanização (Comurb) diversas prerrogativas que eram da AMA.
Guergoletto entende que as mudanças votadas pela Câmara no ano passado ocorreram por ingerência política. ‘‘Houve tanta insistência e talvez tenha até ligação com esse esquema de corrupção’’, disse o vereador, se referindo aos casos envolvendo a AMA e a Comurb e que oficialmente teriam provocado um rombo de R$ 16 milhões nos cofres municipais. Na avaliação do vereador, a extinção da autarquia iria gerar uma economia ao município. ‘‘A AMA é um órgão ocioso o que é um desrespeito a seus próprios funcionários. Nós poderíamos economizar muito fechando a autarquia’’. Este ano o orçamento previsto para a Autarquia Municipal do Ambiente é de R$ 3,3 milhões.
A assessoria de imprensa da prefeitura informou que o prefeito Antonio Belinati (PFL) não iria se pronunciar sobre a proposta porque ainda não tem conhecimento do projeto. O presidente da AMA, Otávio Yassuo Shimba (que assumiu o cargo no início deste mês) foi procurado pela Folha mas não retornou a ligação.